quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Prédio citado na matéria sobre o Carck é público e está abandonado

Foto: Luis Carlos Souza
O prédio citado na matéria sobre a "cracolândia caxiense", na edição de ontem do jornal Pioneiro, pertence a prefeitura de Caxias do Sul e está abandonado desde que um mercado que estava no local deixou o prédio. Essa informação foi omitida pelo folhetim caxiense.

Em mais uma contradição com a sua própria "política de ética" (que já é uma das maiores peças de ficção do século), o Pioneiro tentou livrar a cara do Governo Sartori, responsável, pelo menos em parte, pela situação.

A informação, correta, foi dada pela Rádio Caxias (veja aqui). A atitude da rádio em apurar a verdade dos fatos é uma bela esperança de que algo pode realmente mudar na mídia de Caxias do Sul.

Depois de divulgado pela imprensa parece que irá haver alguma ação da prefeitura para amenizar a situação no local. A Codeca foi ontem no local e começou a fazer a limpeza, porém, segundo o diretor presidente da companhia é a comunidade que deve ajudar na manutenção do local. Mas então para que serve a Codeca?

Outra ação seria passar a administração do imóvel para a Associação de Moradores do Montes Claros. A Amob já havia solicitado o convênio, porém até agora nada tinha andado.

Esse é apenas um caso de imóveis públicos, ou privados, que quando abandonados acabam virando terra de ninguém. A fiscalização em qualquer um dos casos é da Prefeitura. Cabe a imprensa, sempre, mostrar onde existem os problemas, mas fazer isso com a responsabilidade com a verdade com a Rádio Caxias fez e não com o sensacionalismo do Jornal Pioneiro.

Atualização: Na edição de hoje (02/03) o Jornal Pioneiro traz a informação que esse prédio é público porém não faz nenhuma menção que havia "esquecido" desse detalhe 3 dias atrás.

Material de publicidade da Secretaria de Saúde não respeita o princípio da impessoalidade

Uma cartilha publicitária, recheada de fotos, toda colorida e em papel de boa qualidade está sendo distribuída pela cidade. Confeccionada pela Secretária de Saúde ela chama atenção pela quebra de um dos princípios da administração pública, a impessoalidade.

Está no parágrafo primeiro, do artigo 37, de nossa constituição que:


“a publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos ” .


Como podemos ver na imagem ao lado esse princípio não é respeitado já que temos as fotos, com lindos sorrisos, do Prefeito, José Ivo Sartori (PMDB) e da Secretária de Saúde, Maria do Rosário Antoniazzi (DEM). O prefeito até não é candidato, mas a Secretária é cotada para sair como vereadora pelo Democratas.

Mesmo não sendo candidatos o uso de dinheiro público, para promoção pessoal, não é permitido pela constituição. Já vimos isso outras vezes nessa administração. O site da prefeitura tem um currículo do prefeito! Como se isso tivesse alguma utilidade pública. E o material de divulgação da feira do livro, trazia o nome do ex-vice prefeito, Alceu Barbosa Velho (PDT), quando ele já havia passado 7 meses que ele renunciado para ser deputado estadual (veja matéria publicada aqui).

O governo Sartori administra a cidade como se não houvesse lei, como se não houvessem regras. A saúde enfrentou uma greve 8 meses, e o movimento grevista está completando quase 700 dias. Sim porque o sindicato médico concedeu um armistício até o final das eleições e não encerrou a greve como a prefeitura divulga.

Por quanto tempo teremos que conviver com um governo que desrespeita tanto a lei?


terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

18, 20 e Maio: quanta mesquinharia

Na verdade, essa já é velha. Estamos requentando. Mas talvez você não tenha percebido.


As fotos falam por si. Mostram a mesquinharia e pobreza de espírito do Governo Sartori ao eleger o "apelido" das ruas. Desde 2011, gradualmente as placas identificadoras das ruas da cidade apresentam em letras maiores o nome principal da rua: A Pinheiro Machado é a "Pinheiro", a Moreira César é a "Moreira".


Assim, quando as ruas têm nome com números, fica assim: a Vinte de Setembro é a "Vinte", a Dezoito do Forte é a "Dezoito", a Treze de Maio é a... Maio.



Trocaram o nome pelo qual é conhecida a rua só para não colocar o número eleitoral de seu principal adversário. Atitude mesquinha e muito rançosa!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Nepotismo em Santa Lúcia do Piaí

Mais um caso de favorecimento de parentes de agentes públicos no Governo Sartori. Em Santa Lúcia do Piaí, quem está sendo privilegiada é a neta do subprefeito do distrito, o senhor Izino Silvestro. A neta trabalha junto com o avô desde 2011, atuando como estagiária da Subprefeitura de Santa Lúcia.

Talvez você argumente: é apenas uma estagiária... Pois eu digo que tudo é uma questão de oportunidade. Se o subprefeito tivesse a oportunidade e a caneta na mão, nomearia a família inteira como cargo em comissão.

O cargo de subprefeito é de confiança do Prefeito e, o mínimo que se poderia esperar é lisura e a impessoalidade na condução de suas atribuições. Aliás, impessoalidade é o que não existe nesse governo, vide outros casos de favorecimento na Secretaria de Turismo, na FAS e na Secretaria de Obras.

É Sartori... Nepotismo de novo? Que feio!

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Dilma reage rápido e desmonta "indignação" de militares recalcitrantes

Fonte: Diário Gauche


Os presidentes dos Clubes Militares foram obrigados ontem a publicar uma nota desautorizando o texto do "manifesto interclubes" que criticava a presidente Dilma Rousseffpor não censurar duas de suas ministras que defenderam a revogação da Lei da Anistia. Logo depois, porém, tanto o comunicado original como o desmentido foram retirados do site em que foram divulgados.
Dilma não gostou do teor da nota por não aceitar, segundo assessores do Planalto, qualquer tipo de desaprovação às atitudes da comandante suprema das Forças Armadas.

A presidente convocou o ministro 
Celso Amorim (Defesa) para pedir explicações. Ele se reuniu com os comandantes das três Forças, que negociaram com os presidentes dos clubes da Marinha, Exército e Aeronáutica a "desautorização" da publicação do documento, divulgado no site do Clube Militar no dia 16, como revelou o Estado na terça-feira.

No dia seguinte, houve a reunião de 
Amorim com os comandantes das três Forças e uma conversa com a presidente. Paralelamente a essa movimentação, os comandantes telefonaram aos presidentes dos três clubes a fim de que a nota crítica a Dilma fosse suprimida.

Ontem, o "comunicado interclubes" foi retirado do site no início da tarde. Por volta das 16 horas, foi divulgado um outro texto, em que os presidentes desautorizavam o comunicado anterior. Esse desmentido, porém, não chegou a ficar meia hora no ar. O 
Clube do Exército, para tentar encerrar a polêmica, retirou a nota e o desmentido, mas a celeuma já estava criada.

Apesar de terem sido obrigados a recuar e, com isso, não criar uma crise militar, os presidentes dos clubes não se conformam com as críticas que têm recebido e temem que a Comissão da Verdade só ouça um dos lados na hora de trabalhar.

Os presidentes dos clubes da Aeronáutica, brigadeiro 
Carlos de Almeida Baptista, e da Marinha, almirante Ricardo da Veiga Cabral, disseram que em momento algum quiseram criticar a presidente. Para eles, a nota foi uma "precipitação", no momento em que os principais assuntos para a categoria são a defasagem salarial e a necessidade de reaparelhamento das Forças.

O almirante 
Veiga Cabral, no entanto, classificou como "provocação" as falas das ministras das Mulheres, Eleonora Menicucci, e dos Direitos Humanos, Maria do RosárioEleonora, em seu discurso de posse no início do mês, teria tecido "críticas exacerbadas aos governos militares". Já Maria do Rosário teria incentivado, mais de uma vez, que pessoas que se considerassem atingidas por fatos ocorridos durante a ditadura poderiam ingressar com ações na Justiça.

"Não podemos ficar parados. É natural que haja uma reação porque não é possível ficarmos sendo desafiados de um lado e engolirmos sapo de outro. A vida é assim, a cada ação tem uma reação", comentou. O almirante ressalvou que embora os militares, mesmo na reserva, estejam sujeitos ao Estatuto dos Militares, "os clubes não estão subordinados ao Poder Executivo".

Depois de ressaltar também a "independência" dos Clubes Militares, lembrando que "não é o governo nem os comandos" que mandam na instituição, o brigadeiro 
Baptista endossou as palavras do almirante que "estranhou" as declarações das duas ministras.

"Não quero tocar fogo, mas não podemos admitir que queiram amordaçar os clubes. Não podem e não vão conseguir fazer isso", disse. A informação está no 
Estadão de hoje.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Mais politicagem com a Festa da Uva

Foto: CRISTOFER GIACOMET/Divulgação
Já está virando lugar comum o uso político da Festa da Uva. Durante essa última administração foram inúmeros os casos de uso da estrutura da festa e, por que não dizer, de dinheiro público para garantir espaço na mídia para um ou outro secretário, bem como fazer um agrado para presidentes de bairro, imprensa, empresários e por aí vai.

O mais recente foi durante a assinatura de duas ordens de serviço para as últimas obras do Sistema Marrecas (mas já não estava tudo pronto? bom isso é outra história). Na solenidade além da assinatura protocolar, e necessária, do Prefeito José Ivo Sartori e do Diretor presidente do Samae, Marcos Vinícius Caberlon, o trio de soberanas da Festa, Aline Casagrande (princesa), Kelin Zanette (princesa) e a rainha Roberta Veber Toscan.

Ou elas foram elevadas ao papel de autoridade máxima, como ressaltou a coluna Mirante do Pioneiro de hoje, ou foi mais um uso politiqueiro da Festa da Uva. É bom lembrar que há dois anos atrás, durante a festa da aniversário do prefeito Sartori, o trio de soberanas também deixou sua "agenda oficial" para participar de uma festa particular.

Antes da Festa, numa ação de propaganda, para a liberação do corte de árvores do mesmo Marrecas, o trio de soberanas, numa cena bizarra, juntou-se a uma das peregrinações que foram promovidas pela prefeitura até o local. Como estavam todas paramentadas (com coroa e tudo) até o uso do capacete ficou difícil.

Mais uma vez os interesses, e o dinheiro, de todos os cidadãos são utilizados para uso de quem está no poder. Até quando isso acontecerá?

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Bate boca no Facebook expõem problemas no Democratas de Caxias

Na manhã de hoje fomos surpreendidos por uma notificação, entre as tantas, de nossa página inicial no Facebook (para quem não conhece ainda clique aqui). A conversa que iniciou, em tom de desabafo, com um militante (ou ex-militante) do Democratas (DEM) de Caxias, João Manganeli Neto, onde ele diz:

“‎Milton Corlatti , teria desistido da candidatura? q novidade aff”

Logo abaixo o próprio Milton Corlatti, ou alguém que alimenta o seu perfil respondeu:

“ Ta sonhando guri???? Desistir eu kkkk”

Manganeli não gostou muito de ser chamado de “guri” e o bate boca começou. O restante da discussão você pode acompanhar abaixo. Houve até intromissão de militantes de outro partido.

clique na imagem para ampliar

Logo, logo, a discussão foi parar em discussão para cargos. O próprio presidente municipal do DEM, Odir Ferronato, afirmou que a insatisfação de Manganeli era porque uma amiga dele não havia conseguido um cargo, talvez um CC, na prefeitura e disparou: “problema dele é que ele queria arrumar um cargo na prefeitura para uma amiga dele, o que não é nossa postura, principalmente quando são pessoas que invadem a privacidade dos outros”, afirmou Ferronato.

O tom contundente indignou Manganeli que disparou de volta: “outra coisa senhor Odir Miguel Ferronatto se bem me lembro vocês invadiram sim minha privacidade quando mandaram eu trocar meu voto para prefeito na enquete do Polentanews Informação e me lembro bem de outro pedido anti-ético que tu me fez na mesma ligação quanto a essa enquete!! “.

Que coisa séria! Sabíamos que a nossa enquete tinha gerado discussões pela cidade, que havia pessoas fazendo campanha para arregimentar mais votos para seus candidatos, mas não sabíamos que havia patrulhamento ideológico sobre os votantes.

Ou melhor, até suspeitávamos. Já havia sido alertado, por outros leitores, nos comentários da enquete, que por ela ter voto aberto isso “induziria” um comportamento diferente do que talvez fosse realizado na urna, efetivamente, com um voto secreto. Mas, a partir daí, o presidente de um partido ligar para um militante para pedir para ele mudar seu voto numa enquete, que nem oficial é, já é um pouco demais, não concordam?

Corlatti candidato?

A equipe do Polenta News não tem dúvidas quanto a candidatura do Milton Corlatti. Já havíamos escrito isso há meses. Achamos, inclusive, que ele faria o papel de representante do conservadorismo. O que parece que mudou é que ele não será o representante oficial da grande mídia caxiense.

A condição de candidato é dada, inclusive, pelo próprio Ferronato e por outros militantes nessa mesma troca de mensagens. Agora o inconcebível é o nível de educação com que o candidato Corlatti tratou alguém que discordou dele. Tudo bem que o Manganeli não foi das pessoas mais educadas do mundo mas dizer: “Também não te dei liberdade de postar em meu mural ok. Então vamos combinar vê se me esquece.ok”, disparou Corlatti.

Duvido que durante as eleições ele vai dizer para alguém: “Me esquece”. Isso demonstra que, nas redes sociais, pelo bem ou pelo mal, as pessoas mostram a(s) sua(s) faceta(s).

Secretaria do Xucrismo

* com a colaboração de leitores e do Portal de Transparência da Prefeitura de Caxias do Sul

Nunca tem dinheiro pra nada... mas pro Rodeio Crioulo de 2012, realizado entre os dias 13 e 22 de janeiro (aquele mesmo em que foi usado armas de choque nos animais:  Mau exemplo no Rodeio de Caxias ), a fatia do orçamento deste ano foi bem garantida. Pelo menos no quesito premiação.

Chama a atenção a licitação realizada pela Secretaria do Turismo em 30/11/2011 para a confecção de troféus para atender os eventos de 2012 da secretaria, são nada mais nada menos que 1500 troféus para a premiação de concorrentes ao Torneio de Laço a ser realizado no Rodeio Crioulo. 

A vencedora da licitação confeccionou os troféus ao custo de R$ 55.500,00 (cinquenta e cinco mil  e quinhentos reais).
Pelo número exorbitante de troféus confeccionados todos concorrentes serão premiados!

Relacionamos abaixo a previsão de troféus- 2012 para cada modalidade:

1- Laço de Duplas (90 troféus )
2- Laço de Duplas de Irmãos (60 troféus )
3- Laço de Duplas Pai e Filho (60 troféus )
4- Laço Guri (30 troféus)
5- Laço Narrador ( 30 troféus)
6- Laço Doador ( 270 troféus)
7- Laço Piá (90 troféus )
8- Laço Prenda (30 troféus )
9- Laço Patrão (270 troféus)
10- Laço Vaqueano (30 troféus)
11- Laço Veterano ( 30 troféus)
12- Laço Taça da Cidade ( 30 troféus )
13- Laço individual (270 troféus )
14- Laço Equipe (270 troféus )

TOTAL: 1.500 TROFÉUS

Veja detalhes da licitação no link abaixo:

http://cenlic.caxias.rs.gov.br/auxiliar.php?option=ZG93bmxvYWQ=&cod_licitacao=MzUxMw==&arquivo=UFA0OTAtMTEucGRm

Já a 25ª Coordenadoria Regional Tradicionalista recebeu da Secretaria da Cultura em 2011 R$ 479.877,00 (quatrocentos e setenta e nove mil, oitocentos e setenta e sete reais ) para realização do 23º Rodeio Crioulo Nacional de Caxias do Sul, participação no FECARS em Santo Augusto e para a realização da Semana Farroupilha.
Neste ano de 2012 para a realização do 24º Rodeio Crioulo de Caxias do Sul, a 25º CRT recebeu R$ 261.469,00 (duzentos e sessenta e um mil quatrocentos e sessenta e nove reais).

Então, não podia ela mesma ter bancado os troféus entregues aos melhores laçadores?


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Brasil vem deixando a miséria para trás

O Brasil vem superando uma de suas maiores mazelas, a miséria extrema. Isso é tão impactante que a Zero Hora fez uma reportagem especial sobre assunto em sua edição dominical (18/02). É claro que o jornal não se aprofundou nas razões desse fato, nem detalhou os números apresentados. Ficou apenas nas entrelinhas, mas vamos aqui abordar com mais profundidade esse movimento.

O que é extrema pobreza?

É considerado pobreza extrema quem recebe até R$ 70,00 per capita. Em 1995 11,21% dos brasileiros estava nessa condição. Em 2009 são apenas 5,17%, ou seja, houve uma redução de mais de 50% nessa faixa. Desde que o Bolsa Família foi criado, em 2004, e até 2009, 6,3 milhões de pessoas deixaram a pobreza extrema, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Ipea .

Outro dado importante é dado pela Fundação Getúlio Vargas, FGV. Segunda a fundação 48,7 milhões de pessoas entraram nas classes A, B e C no Brasil, entre 2003 e 2011, um crescimento de 47,9%. Em resumo, durante o governo Lula, quase 50 milhões de pessoas mudaram drasticamente suas vidas. E onde você leu isso? Só aqui no Polenta News (lei a o artigo “O Losango substituiu a Pirâmide").

Mudança de ações governamentais mudam a vida das pessoas

Durante toda a era FHC, de 1995 a 2002, a pobreza extrema caiu apenas 1,73 pontos percentuais. Atingia 11,21% dos brasileiros, em 1995, e, em 2002, 9,48% estavam nessa situação. Entretanto durante os 8 anos do governo Lula a pobreza extrema caiu quase pela metade, chegando, em 2009, ao menos índice até então: 5,17%. Todos os pesquisadores da área atribuem isso a dois fatores. O Bolsa Família que deu condições mínimas de sobrevivência para milhões de pessoas e ao aquecimento da economia, gerado, principalmente, pelos altos investimentos governamentais em obras públicas que fizeram a economia crescer, no Brasil, mesmo durante a forte crise econômica de 2008.

O Brasil não ficou só menos pobre, ele ficou mais rico.

Outro dado importante foi a evolução da renda dos brasileiros. Segundo dados do Banco Mundial, a renda média por brasileiro, por dia, em 2008 era de US$ 12,10 (R$ 20,59 por dia ou R$ 617,70 por mês, em valores atuais). Em 1995 esse valor era de US$ 7,30 por dia, por pessoa.

Aqui podemos notar, também, as diferenças entre os governos FHC e Lula. Durante os 8 anos do governo de Fernando Henrique Cardoso a média salarial diária subiu apenas US$ 0,90. Passou dos US$ 7,30, em 1995 e foi para US$ 8,20, em 2002. Um crescimento é verdade, mas bastante tímido se comparado aos 6 anos seguintes do governo Lula. Saímos dos US$ 8,20 e fomos para os US$ 12,10, um crescimento de quase 50%! (veja gráfico).



Essa mudança toda atingiu em cheio, a mente da elite econômica brasileira. Durante dezenas de anos ela foi responsável pela manutenção da miséria do povo brasileiro. Essa mesmo elite não consegue admitir, até hoje, que em pouco tempo, tantos milhões de pessoas melhoraram de vida. Em apenas 8 anos dois mitos do neoliberalismo foram enterrados. O primeiro deles, que remonta a era Delfim Neto era de que o bolo precisava crescer para depois ser dividido. O outro era dos economistas da era FHC que diziam que o Estado não podia intervir na economia para promover desenvolvimento.

Durante o governo Lula o bolo não só cresceu, como foi dividido ao mesmo tempo, com distribuição de renda, bem como só cresceu porque o Estado investiu pesado em obras públicas que fizeram a economia andar em efeito cascata.

A prática provou que o modelo neoliberal é um modelo falido.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Festa popular mostra brilho e problemas na “avenida”

Foto: Antonio Lorenzett/Divulgação
Não, não estamos falando da Festa da Uva. Estamos falando da legítima festa popular de Caxias do Sul: O Carnaval. Embora ele não tenha tradição em nossa cidade, principalmente por conta de preconceitos da “elite gringa”, o carnaval de rua vem, as vezes nos trancos e barrancos, quebrando preconceitos.

A edição desse ano caiu no meio da Festa da Uva, aí imagina, ficou em 3º plano, nos quesitos investimentos do poder público. Muitos problemas aconteceram principalmente na primeira noite de desfiles. Destaca-se a falta de banheiros químicos em quantidade suficiente e problemas estruturais. Mesmo utilizando-se do aparato já montado para os corso alegórico, ou desfile cênico musical, uma boa parte da estrutura não foi disponibilizada.

Soma-se a isso o atraso, quase irresponsável, na liberação dos recursos para as escolas, por parte da Secretária de Cultura, a demora absurda na produção do CD com os sambas enredos, a falta de informações sobre as escolas (que só foi disponibilizada uma semana antes dos desfiles). Uma demonstração clara de amadorismo na comunicação do evento é que não existe, em nenhum lugar, imagens da corte do carnaval. Não adianta procurar no site da prefeitura, nem em alguma página da própria liga carnavalesca de Caxias, e olha que a comunicação do evento é de responsabilidade da assessora de comunicação da Câmara de Vereadores, Eloa Nespolo, ou seja, houve profundo desinteresse pelo assunto.

Outra prova disso é o atraso nos CDs com o samba enredo. O secretário de cultura, Antonio Feldmann (PMDB), respondendo a um twitter sobre os CDs, em 5 de fevereiro, afirmou que na próxima semana estaria a disposição. Passada uma semana só se ouviu falar sobre o CD da Festa da Uva.

Também há um movimento de reorganização das próprias escolas. Em setembro havia 15 agremiações garantidas para desfilar. Em janeiro já eram 12. Depois reduziu-se para 11 as vésperas do desfile e por fim só dez desfilaram.

Mesmo assim dez escolas desfilaram no sábado e no domingo e quebraram um pouco a lógica de que Caxias é só Festa da Uva. Apesar das dificuldades as escolas mostraram animação e empolgação. Não foi um carnaval rico, muito antes pelo contrário, foi o carnaval possível de ser feito com o que se tinha de recursos.

Os problemas e soluções do carnaval de rua de Caxias

O carnaval de rua em nossa cidade é teimoso. As escolas mais antigas remontam da década de 70, mesmo assim, careceu por muitos anos de falta de apoio do poder público. Foi a partir de 1998 que o desfile das escolas de samba começou a ganhar um incentivo público de maior vulto. Durante o governo Pepe Vargas e que continua no governo Sartori, houve repasse de verbas da prefeitura para as escolas e infraestrutura para os desfiles, em maior ou menor grau.

Entretanto foi justamente nessa época que ele começou a se desorganizar. A Liga Carnavalesca, criada para reunir as escolas e para que elas ganhassem autonomia, foi dominada por uma figura sombria e envolvida em dezenas de confusões. Cassiano Fontana, o Amarelinho, com conivência das próprias escolas, fez e aconteceu durante muitos anos a frente da presidência da Liga. Para conseguir mais recursos criou diversas escolas apenas para garantir a distribuição de dinheiro. Essas “escolas de aluguel” mantêm-se só com recursos do poder público, sem o apoio das suas comunidades. Elas também serviam de base de apoio eleitoral a Cassiano que já passou por vários partidos, entre eles PDT, PSB e hoje “preside” o PRP que é base de sustentação do governo Sartori.

Há três anos atrás, durante uma fiscalização rigorosa da controladoria de contas da prefeitura, foram encontradas inúmeras irregularidades nas prestações de contas das escolas e da própria Liga. Recursos gastos com bebidas e cigarros entre outros impediam o repasse de novos recursos às escolas. Aliado ao fato do desfile estar acontecendo fora de época (para propiciar que as escolas contratassem integrantes de outras agremiações, principalmente de Porto Alegre e Região Metropolitana) houve uma mudança drástica dentro da Liga. Sai Amarelinho, extremamente desgastado, entra Eloi Frizzo e um time de vereadores para “por ordem na casa”.

Nesse movimento mudaram-se a forma de repasse de recursos as escolas que passou a ser por cachê dependendo da pontuação nos desfiles. A partir desse ano será recomposto o grupo de acesso. Ao que tudo indica, sem a presença do Amarelinho, o carnaval começa a entrar nos eixos.

Outras iniciativas são bem vindas
Além das escolas de samba outra iniciativa surgiu no ano passado. O Bloco da Velha, uma iniciativa da Livraria Arco da Velha, busca resgatar a origem do carnaval de rua. O importante dessa iniciativa é que ela se sustenta sem recursos públicos. Iniciativa semelhante a própria liga poderia incentivar. As diversas escolas que desistiram de participar poderiam se converter em blocos e ajudar a dar mais peso ao nosso carnaval.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Ricardo Boechat insulta trabalhadores ao vivo e nega direito de resposta

Texto extraído do Cloaca News. É bom lembrar que foi essa mesma rede, mas um outro jornalista metido a ético que disse "só faltava essa agora, garis no alto de suas vassouras desejando Feliz Natal". É uma vergonha!

O jornalista e anchorman da Rede Bandalha, Ricardo Boechat, acaba de agregar valor à sua fulgurante carreira no ramo da PI (Picaretagem da Informação). Na última sexta-feira, 10, zurrando ao vivo em seu programa na BandNews FM, o mezzo porteño-mezzo carioca desandou a desqualificar toda a categoria dos servidores do TRE do Rio de Janeiro, desfiando adjetivos desairosos aos trabalhadores e sugerindo que os funcionários daquele egrégio tribunal seriam todos vagabundos e sanguessugas do dinheiro público. Mais que isso: o ex-assistente do lendário fofoqueiro Ibrahim Sued chegou mesmo a exigir o corte do ponto dos trabalhadores judiciários.

Na prática, a TPM radialística de Ricardão espalhou-se pelo éter porque o brilhante e laureado profissional de imprensa não teve a pachorra de apurar uma informação que lhe chegara aos ouvidos logo após o início da greve das polícias do Rio de Janeiro. Para Boechat, a notícia de que o TRE-RJ havia “parado” por causa do movimento grevista da segurança pública transformou todos os funcionários da Justiça Eleitoral fluminense em vadios mundeiros. Ocorre que a suspensão do expediente na sede da Corte e nos cartórios eleitorais do estado deu-se em razão do Ato Administrativo 43/2012, editado naquele dia pela presidenta em exercício do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), Letícia Sardas. A decisão da magistrada foi tomada em caráter preventivo, até que se pudesse avaliar o grau de paralisação e as consequências da greve dos policiais.

Com o programa ainda no ar, e indignados com a esculhambação pública a que estavam sendo submetidos,representantes do Sindicato dos Trabalhadores das Justiças Federais no Estado do Rio de Janeiro (Sisejufe) entraram em contato com a produção de "Jornalismo" da BandNews FM para esclarecer a verdade dos fatos. Os bandalhos, no entanto, fizeram ouvidos moucos e não deram voz aos insultados.


Em junho de 2001, ocasião em que era o principal colunista de O Globo, Boechat foi flagrado passando conteúdo de matérias de seu jornal para um concorrente, o que lhe custou o olho da rua. Tempos depois, ele foi contratado pelo coveiro do JB, Nelson Tanure, com quem aprimorou seu talento nas Artes Trambicais. Atualmente, rancoroso e desenxabido, Ricardo Boechat experimenta seu patético ocaso, transformado em locutor oficial dos editoriaizinhos da Rede Bandalha.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Quer estragar um espetáculo? Chame o Palavro

Foto: Revista O Caxiense
O desfile da Festa da Uva, podemos dizer, foi a melhor coisa que foi apresentada nessa festa até agora. Depois de uma divulgação atrapalhada, uma decoração feia, o desfile realmente surpreendeu. Fez isso sacrificando a possibilidade da população poder ver ele, mas isso é assunto para outro comentário.

Mas mesmo com a possibilidade de um grande espetáculo tinha que vir um cidadão é fazer bobagem, e não é qualquer cidadão, é o Presidente da Festa da Uva, Gelson Palavro (aquele mesmo que levou uma multa por uma poda irregular de Palmeiras Imperiais).

Desde o resultado do concurso para Rainha da Festa da Uva um grupo de candidatas está em pé de guerra com a comissão organizadora porque ela se nega a mostrar as notas das candidatas. Provavelmente por algo a esconder ou para que não se crie um ranking o que geraria além da quarta, quinta, sexta colocada, também a última.

Esse grupo de candidatas entrou com um processo na justiça para poder ter acesso as notas. Ai, como se diz, se você quer encontrar um cabeça dura chame um gringo, essas moças foram excluídas de todas as atividades da festa, inclusive de desfilar no carro oficial das “Embaixatrizes”, ou seja, de quem concorreu mas não ganhou. E não é que uma embaixatriz não gostou da ideia da exclusão e foi para o desfile assim mesmo!

A cena, que virou incidente, foi captada pela reportagem da revista O Caxiense. O repórter Rafael Machado, estava presente quando Lisiane Viezzer Bordin tentou subir no carro da embaixatrizes e foi barrada pela pessoa responsável pelo carro e então decidiu desfilar a pé.

Questionado sobre esse “procedimento”, Palavro, a única pessoa que quis falar com O Caxiense, disse: “Fiquei sabendo dessa iniciativa dela. A gente fica chateado porque ela não demonstrou interesse durante todo o trabalho, nunca participou, e estava junto com as que ficaram contra a festa”.

Nessa frase está bem claro o tipo de pessoas que compõem a tal comissão comunitária da Festa da Uva. Ao que parece para todo mundo, essas garotas não estão contra a festa, como arrogantemente Palavro afirma. Elas só querem algo que, no entendimento delas, e de boa parte da população é um direito. Ao invés de construir alguma ponte para superar essa crise, a pessoa que tem a missão de organizar a festa , banca a arrogante e intransigente.

No fundo, no fundo, a Festa da Uva é o último bastião onde a elite italiana decadente se apóia. Palavro é um representante dessa elite. É um representante do pensamento atrasado que ainda existe em Caxias e que transforma a nossa cidade numa província com meio milhão de habitantes.

Como disse Paulo Roberto Cemin num comentário, no Facebook, onde a matéria foi compartilhada: .”isso é uma vergonha pra cidade e pro turismo de Caxias, pois imagina só o que os turistas vão dizer ao saberem de tamanha atitude como essa, dessa estupidez só porque uma embaixatriz esteve pedindo transparência na escolha e agora é impedida de desfilar. Que atitude arrogante da organização, estupidez e mediocridade total”.

Concordamos com você Paulo.



PS: Para não deixar passar desapercebido. O mesmo Palavro simplesmente “esqueceu” de citar a presidenta Dilma no seu discurso. Essa é mais um prova de que com certeza ele está na função errada.

Mais um golpe privatista do Governo Sartori

O diretor da Secretaria da Saúde largou uma bomba no Conselho Municipal da Saúde reunido na de terça-feira, dia 14/02:


A Prefeitura pretende abrir edital de licitação para contratação de laboratórios privados para coleta do exame citopatológico (preventivo do câncer). Hoje o exame hoje é coletado por enfermeiros e técnicos de enfermagem da Prefeitura, todos servidores municipais. A Prefeitura possui inclusive no seu quadro um médico especialista em citopatologia para a elaboração desses laudos.

O assunto foi embutido na pauta do Conselho e os conselheiros não tiveram chance de discutir o assunto, foram pegos de surpresa. Ainda não há maiores definições de quando será lançado o edital, pois o assunto ficou no ar. Mas esta aí mais uma realização do Governo Sartori!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Machismo correndo solto na Festa da Uva e no Pioneiro




Sem grandes surpresas, o Burgueseiro caxiense publicou uma reportagem "superpolitizada": TRICÔ REAL

Na reportagem de meia página, repleta de futilidades, o tema foi o nervosismo das soberanas com a chegada da Festa. O que mais indigna é a legenda da foto:

A convite do Pioneiro, Roberta e Tatiane se encontraram durante duas horas e confirmaram a escrita: duas mulheres à mesa, mesmo rainhas, falam de cabelo, maquiagem, roupa

O comentário reforça o papel que os machistas gostam de atribuir às mulheres: de que as mulheres não tem mais nada pra fazer. Como se as mulheres fossem desprovidas de razão e apenas soubessem falar sobre maquiagem, cabelos, compras... Infelizmente, a figura das soberanas da Festa da Uva reforça este esteriótipo, o que é lamentável no mundo de hoje.

As mulheres pensam, debatem economia, política, são independentes e não giram apenas em torno de sua beleza física. Na Festa da Uva, as mulheres não têm que ser lembradas por embelezar a festa, mas por serem protagonistas de uma história de construção da cidade. Têm que ser valorizadas na construção da Festa.

Nunca houve presidenta da Festa da Uva. Tá na hora!


Projeto de gratuidades do transporte coletivo deverá ser encaminhado ao Executivo


A pressão de estudantes e idosos conseguiu derrubar, pelo menos por enquanto, as alterações das na Lei Orgânica Municipal, que incidem em critérios de gratuidades, no transporte coletivo. Durante a reunião da Comissão de Desenvolvimento Urbano, Transporte e Habitação da Câmara de Vereadores, na tarde desta quarta feira, dia 15, foi definido que os textos, com as alterações na Lei, serão encaminhados para o Executivo, para estudos técnicos, sem prazo para retorno.

Durante a sessão ordinária, os vereadores Marcos Daneluz/PT e Vinicius Ribeiro/PDT (presidente da comissão) detalharam que já foi encaminhado à Presidência da Casa um pedido de baixa dos projetos de emendas à referida lei, que tratam das passagens para idosos e estudantes.

De acordo com Vinicius, a Câmara ficou diante de um impasse: se as especificações sobre as gratuidades devem continuar na Lei Orgânica ou se esses direitos devem se restringir a leis específicas. “Por isso, a melhor forma de resolver o problema é por meio de entendimentos técnicos”, ponderou o vereador.

Para Daneluz, cujo pedido de vistas da matéria venceu nesta semana, a determinação das políticas do transporte coletivo cabe à prefeitura. Disse que a proposição ainda não apresenta condições de ser apreciada em plenário.

Com essa decisão parte da novela que propunha a retirada desses direitos da Lei Orgânica se encerra. Agora é necessário que o Executivo, ou seja o Prefeito Sartori, encaminhe um projeto de lei regulamentando, ou não, essas duas gratuidades. Cabe agora as organizações que são contrarias as mudanças ficarem atentas sobre o conteúdo dessa legislação que poderá vir do Executivo.

Esse é um debate interessante que pode render muitas discussões durante a campanha eleitoral. Porque, se depender do prefeito Sartori, essa regulamentação não sai esse ano.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Câmara de Vereadores

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Pioneiro faz de tudo para cavar um espaço para o seu pupilo


O código de ética da RBS já é a maior livro de ficção do ano e como tal obra não é para ser levada muito a serio, até porque há, cotidianamente, exemplos de que a empresa não segue suas próprias “regras”.


Quase a aniversariante ficou de fora para que Alceu pudesse aparecer na foto
Essa semana foi particularmente fértil nesse aspecto. A coluna de política do jornal, o “Mirante”, fez de tudo para colocar o deputado, e candidato a prefeito pelo PDT, Alceu Barbosa Velho em evidência, mesmo que não houvesse motivo.

Na segunda feira, por exemplo, havia a chamada: “Aniversários em tom da campanha”. Na sexta feira o Partido dos Trabalhadores reuniu mais de 800 pessoas num jantar em comemoração aos seus 32 anos. Do ponto de vista da objetividade jornalística essa é uma informação de bastante relevância. Mas para não deixar seu pupilo de fora das manchetes arranjaram uma festa particular de aniversários, de uma CC do governo Sartori, onde a aniversariante quase não aparece na foto, para que Alceu aparecesse discursando (imagem).

O peso editorial dos dois eventos é incrivelmente diferente. Enquanto uma atividade, o aniversário do PT, foi uma atividade eminentemente política e foi preparada para tal, a outra atividade foi criada para garantir foto no jornal.

Outro exemplo foi na edição de terça feira. O fato político do dia anterior, para qualquer jornal sério do mundo, é a confirmação de uma aliança eleitoral, ainda mais quando essa aliança retira um dos partidos da base de sustentação do governo. Um jornal sério daria destaque a isso. O Pioneiro deu até um destaque, era a chamada do topo da página, mas sem foto! A foto foi para a chamada abaixo que dizia: “Elogios para Alceu Barbosa Velho”, que falava sobre a inauguração de leitos de UTI no Hospital Pompéia e que Alceu teria sido elogiado nos discursos. Outra vez vemos como um tema de menor importância ganha um destaque maior para, dar visibilidade ao protegido da RBS e diminuir um fato político de relevância e importância que é a aliança entre PT e PRB, principais oposicionistas ao governo Sartori.

Na edição de hoje, o Mirante que foi escrito pelo editor chefe do Pioneiro, Roberto Nielsen, apesar de dar o crédito correto ao Deputado Federal Pepe Vargas (PT) que se esforçou por garantir a vinda da presidente Dilma (PT) à Festa da Uva, lembra do assédio político que pode acontecer com candidatos querendo aparecer nas fotos junto da presidenta e advinha quem é citado novamente? Alceu Barbosa Velho! E mais ele é citado novamente em mais uma nota sobre a liminar que suspendeu a Lei da Sapeca.

Como pode se ver não se economiza esforço para tratar bem um pupilo, né?

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

PT e PRB selam aliança para a eleição municipal desse ano

Da esquerda para direita: Silvana Pirolli (PT), Ana Corso (PT),
Alfredo Tatto (PT), Pepe Vargas (PT), Renato Nunes (PRB),
Carlos Gomes (PRB), Marisa Formolo (PT), Guiovane
Maria (PT)
A escada que o prefeito Sartori (PMDB) estava tentando fazer para construir o terceiro andar (metáfora usada para o terceiro mandato do atual projeto político), perdeu um degrau na noite de hoje. Agora a pouco o PRB, Partido Republicano Brasileiro, do vereador Renato Nunes, anunciou que ira construir, juntamente com o PT uma candidatura que englobe as duas siglas.

Reunidos na sede do PT, dezenas de militantes dos dois partidos ouviram as falas de Renato Nunes, do Deputado Estadual, Carlos Gomes (PRB), Deputada Marisa Formolo (PT) e dos Deputado Pepe Vargas (PT). 

Todas as falas convergiam para a ideia de construir um campo político, em conjunto, com os dois partidos, partindo da experiência do governo Lula, que teve com vice Jose Alencar que também era do PRB. O vereador Renato Nunes afirmou que a filosofia do PT se assemelha muito com a do PRB, "o PT é um partido que governa para todos, mas principalmente para os mais necessitados", afirmou Nunes.

Pepe Vargas afirmou que a intenção da aliança, com o PRB, parte desde a construção de um programa de governo, passando de definição da chapa majoritária, até a construção de uma nominata de vereadores em conjunto. Pepe ressaltou a unidade entre o PT e o PRB começa a mostrar para a população que não há um único pensamento na cidade, que tem muita gente que pensa diferente. "Não é bem assim que vai ter uma coligação bem maior e outra bem menor na cidade", afirmou. 

Pepe ressaltou, ainda, que o objetivo do programa de governo dos dois partidos é construir uma cidade melhor para os caxienses viverem. 

Esse anuncio começou a mudar o quadro eleitoral da cidade. Como o Polenta News já havia falado anteriormente a tão falada união de diversos partidos em torno do governo Sartori era frágil e recheada de proselitismo político. 

O PRB já tomou um caminho diferente, quem será o próximo?

Com informações de colaboradores do Polenta News

Greve de fome em frente à Rede Globo

Você viu isso em algum lugar? Passou ontem no Fantástico? Deu na Veja dessa semana? Não!!!! Então mude logo a sua maneira de se informar.

Se fosse cubano, Pedro Rios Leão seria capa do O Globo e seria chamado de "mártir da liberdade". Seria matéria de destaque no Jornal Nacional, provocando lágrimas de solidariedade da Patrícia Poeta. No Jornal da Globo, Wiilian Waack e Arnaldo Jabor, uníssonos, o chamariam de herói e até Pedro Bial arrumaria um espaço no BBB p/ fazer uma homenagem ao "guerreiro"... 

Desafortunadamente ele não é cubano. Pedro Rios Leão é brasileiro (!) e completou 11 dias de greve de fome em frente a TV Globo em protesto contra a cobertura da desocupação de Pinheirinho pela polícia militar de São Paulo. Seu protesto até agora foi e está sendo solenemente ignorado. Como diria aquela velha canção, "a dor da gente não sai no jornal", muito menos na TV".

(Texto: Juliana Cordeiro de Farias / Foto: Rodrigo Ajooz, em 31/01/2012)

Seria cômico se não fosse trágico

Direto do tunel do tempo:

No dia em que o atual prefeito comemorou seus 60 anos, em 2008, numa grande celebração, os correligionários de Sartori, em tom de brincadeira, lhe presentearam com um cartão de passe livre. Passados 4 anos a base do seu governo quer, justamente, retirar esse direito. Deve ir a votação, em primeiro turno, amanhã um projeto de lei que modifica diversos artigos da Lei Orgânica do município, entre eles, está esse que instituiu o Passe Livre para pessoas com mais de 60 anos (o Estatuto do Idoso garante o benefício a quem tem mais de 65 anos). O projeto já foi adiado duas vezes a pedido dos vereadores Mauro Pereira (PMDB) e Marcos Daneluz (PT).

Se isso acontecer o prefeito terá que cancelar o seu passe livre, pois ele só passaria a ter direito em 2013. Irônico não.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Suspensa Lei Estadual que amplia possibilidade de realização de queimadas


Nós havíamos alertado ainda no dia 7 de fevereiro (leia aqui), sobre a Ação Direta de Inconstitucionalidade, ADIn, protocolada pelo Procurador-Geral em exercício, Ivory Coelho Neto. Na quinta feira foi decidida, ainda em caratér liminar, suspender os efeitos da lei que altera o Código Florestal Estadual e amplia as hipóteses em que podem ser realizadas queimadas. A decisão foi do Desembargador Marco Aurélio dos Santos Caminha.

A Lei Estadual nº 13.931/2012 fica suspensa até o julgamento, pelo Órgão Especial do TJRS, do mérito da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIn) movida pelo Ministério Público.

Na decisão, o Desembargador Caminha lembrou que o teor dessa legislação, que amplia as hipóteses de utilização de fogo em pastagens nativas e exóticas além de outras formas de queimadas, já foi objeto de outra lei, editada anteriormente (nº 11.498/2000), que também foi considerada inconstitucional pelo Tribunal de Justiça do Estado.

O desembargador salientou ainda ser sabido que a prática de queimadas, permitida somente em hipóteses excepcionais tanto pela lei federal quanto estadual, é "por demais prejudicial ao meio ambiente e à qualidade de vida da população, de forma que a manutenção da sua vigência, principalmente nessa época em que o Estado do Rio Grande do Sul atravessa uma das maiores estiagens dos últimos 10 anos, pode trazer prejuízos de toda a sorte", finaliza Caminha.

Ainda não há previsão de data do julgamento do mérito da ADIn.

Dois deputados estaduais caxienses fizeram muita festa quando o projeto foi aprovado. Alceu Barbosa Velho (PDT) e Maria Helena Sartori (PMDB) são membros atuantes da "bancada pró desmatamento". Além de vibrarem no ato de promulgação da lei, são também os mesmos que vibraram quando a autorização da derrubada de 6.500 aruacárias para a construção da barragem da Marrecas. Não obstante, Alceu Barbosa Velho quando vice prefeito foi o responsável pela derrubada de 165 árvores, várias delas nativas, para a construção de uma cancha de rodeios para os gaudérios (da cidade) não sujarem as botas.

Com informações da Assessoria de Comunicação do TJ/RS

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Sartori e os servidores: dá com uma mão e tira com a outra

Entre quarta e quinta-feira desta semana 7 projetos referentes à vida funcional dos servidores  municipais foram protocolados na Câmara de Vereadores. Os projetos de autoria do Poder Executivo são bastante polêmicos e não estão agradando aos servidores que estão há muito tempo lutando pela criação de um plano de carreira.

Os projetos mais polêmicos:

1º - Extinção do RETI (Regime Especial de Trabalho Integral) e criação do RTC (Regime de Trabalho Complementar) -  O mal-afamado "RETI" é uma gratificação que os servidores com carga horária de 33 ou 36 horas semanais recebem para trabalhar 44 horas semanais. Ele incide sobre a remuneração e foi alvo de ataque pelo Presidente da Câmara de Vereadores, Marcos Daneluz, que resolveu, do dia para a noite retirar a gratificação de diversos servidores da Câmara. Com a proposta de extinção dessa gratificação, fica evidente que toda a movimentação da Câmara e também do governo, criticando o RETI à época, foi proposital para que agora não fique tão feio acabar com ele. Já o RTC será pago para os mesmos servidores, mas será uma gratificação de 30 ou 20% apenas sobre o padrão de vencimento, o que representará grandes perdas para a categoria.

2º - Criação de um novo quadro de cargos para a Prefeitura - Dando um golpe de mestre, o Governo municipal cria novamente todo quadro de cargos e salários da Prefeitura. Todos os cargos, exceto os da saúde, terão carga horária de 40 horas semanais, o que representa um retrocesso frente à luta sindical de redução da jornada de trabalho.O projeto estava sendo discutrido em uma comissão paritária entre governo e servidores, porém como não houve acordo, a Prefeitura patrolou a categoria e enviou o Projeto. Não houve discussão e o trabalho desenvoilvido pela Comissão foi por água abaixo.

3º - Incentivo à qualificação - Depois de retirar garantias dos atuais e futuros servidores, foi criada uma tentativa de passar a mão na cabeça dos servidores, com a criação de uma gratificação por qualificação. Essa proposta não é ruim e a categoria simpatizou com ela, porém os únicos percentuais são de 5 e 10% sobre o menor padrão da prefeitura. Infelizmente, que receberá os 5% são os cargos de menor remuneração e a proposta não valoriza quem se qualifica mais.

4º - Gratificação de Plantão para os médicos - o ponto crucial é este: a gratificação é só para os médicos, que, diga-se de passagem, já recebem gratificação por fazer plantão no Postão. E os demais servidores que fazem plantão sábado, domingo e feriados, como ficam?

Além desses projetos, estão sendo enviados o da Gratificação da Guarda (retirando a possibilidade dos guardas de receber o incentivo à qualificação), uma gratificação de sobreaviso para quem trabalha neste regime e o triênio para os Agentes Comunitários de Saúde e de Endemia, que recebem os piores salários da Prefeitura (cerca de R$ 600,00) e aguardam desde agosto do ano passado o recebimento do triênio acertado na Campanha Salarial.