segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Um 2013 com muita fartura


A equipe do Polenta News quer desejar a todos os nossos leitores, e a todas as nossas leitoras, um ótimo 2013. Queremos agradecer o tempo que dispensaram lendo o nosso blog, comentando as nossas postagens, compartilhando o nosso conteúdo e interagindo com os nossos perfis nas redes sociais.

Um relovução tecnológica há 560 anos possibilitou que o conhecimento saisse das mãos dos ricos, poderosos e da igreja e atingisse o cidadão. Demorou muito para se popularizar mas o nascimento da imprensa, e dos veículos de comunicação, possibilitou que a imensidão do planeta coubesse numa página de jornal ou na nossa sala. Porém esse era um caminho de mão única. Um falava e milhões ouviam passivamente.

O século XXI nos apresentou a possibilidade de que milhões falam para milhões. E ficamos felizes de saber que somos uma pequena parte desses milhões. Hoje você não fica mais refém de uma única fonte de informação. Com isso a possibilidade de você ser manipulado é muito menor. Até esse ano Caxias vivia com um único jornal diário. Hoje são dois. Mas ainda é pouco. A única rádio comunitária, oficial, de Caxias do Sul está fora do ar há dois anos. Vários jornais semanários e até mensais são caça níqueis. Porém muita coisa avançou e ficamos felizes de fazer parte desse avanço.

O Polenta News é referência quando se fala em política. Não é o único, e nem queremos ser, mas estamos presentes nas rodas que debatem política em nossa cidade. Por várias vezes esse ano pautamos a grande imprensa, embora ela não admita, conquistamos admiradores e também detratores, mas isso faz parte do jogo. Preferimos uma verdade inconveniente a uma mentira confortável.

Em 2013 continuaremos presentes no dia a dia de nossa cidade. Um feliz 2013 para todos nós.

domingo, 30 de dezembro de 2012

Tarso Genro critica má-fé em reportagem de Zero Hora sobre conselheiros de estatais

Publicado originalmente em RS Urgente

O governador Tarso Genro enviou nota ao RS Urgente criticando e qualificando como “equivocada” a abordagem feita pelo jornal Zero Hora sobre a remuneração e indicação de conselheiros das estatais. Tarso afirma:

A reportagem parte do pressuposto que as pessoas indicadas para a composição dos conselhos não possuem qualificação para exercer as funções. Além disso, e mais grave, deixa em segundo plano a informação que estes colegiados e a remuneração aos seus integrantes estão previstos em lei e sequer são obra do atual governo. Portanto, não existe nem imoralidade nem ilegalidade, como a matéria deixa a entender. A mera exposição de pessoas e de suas respectivas remunerações, somada à repercussão de formadores de opinião e potencializada nas redes sociais, levou o cidadão a uma leitura parcial sobre o tema.

Cito dois exemplos que sustentam o entendimento de que houve “má fé”, como afirmei em entrevista ao Conversas Cruzadas, na forma de publicação da reportagem: no Facebook de ZH a matéria recebeu a chamada “Conselheiros de Bolsos Cheios”, já a jornalista Letícia Duarte, na premissa que antecedeu sua pergunta sobre o tema no Conversas Cruzadas, disse que o pagamento das remunerações aos conselheiros “soava como escândalo”. Ressalto que a expressão “má fé” foi dirigida à forma de apresentação da reportagem. Os exemplos referidos, como no caso da manifestação da jornalista, são apenas conseqüência.

Este tipo de matéria está muito em voga num certo jornalismo “pós-moderno”, nos dias de hoje: usar uma verdade factual disposta de forma milimétrica para despertar preconceitos e produzir “escândalos”; é uma espécie de “pegadinha” política. Esta reportagem foi excepcionalmente feliz neste objetivo, pois o preconceito foi despertado na voz da própria colega de trabalho do autor da matéria, que já iniciaria tratar a questão como um escândalo de governo.

Na nota, Tarso Genro também explicita quais são os critérios de indicação do governo para a composição destes conselhos no setor público:

São critérios políticos e técnicos. Todas as pessoas indicadas possuem experiência no setor público e estão acostumadas a compor colegiados dentro das estruturas partidárias, sindicais, administrativas, etc. Elas representam o governo dentro dos conselhos e, por isso, possuem a confiança do governador para gerir e fiscalizar, principalmente no que se refere ao vínculo sadio que as empresas estatais devem ter com as políticas públicas. Pessoas com experiências diversificadas são essenciais para o processo de formulação e discussão de idéias. É importante salientar que estas pessoas não substituem os conselheiros técnicos nem os órgãos de controle destas empresas.

sábado, 29 de dezembro de 2012

O lucro não pode ser tudo

Um bom exemplo partiu de uma tradicional loja de Caxias do Sul. Ao contrário dos empresários ávidos por lucros cada vez maiores, o Magnabosco, decidiu não abrir sua loja no domingo, perdendo vendas de um dia "gordo". O "gordo" nesse caso é para o lojista, pois o funcionário perde, e muito, com esse consumismo.

É falsa a ideia de que isso irá gerar comissões maiores, que lojas abertas aos domingos trazem mais empregos e geram turismo. Essa balela é contada há muitos anos. Na legislatura passada chegou a ser apreciado na Câmara de Vereadores de Caxias um projeto de lei que proibia a abertura do comércio aos domingos. O projeto foi rejeitado por maioria dos vereadores.

Vamos deixar bem claro que a abertura do comércio aos domingos é prejudicial para o trabalhador. Ele perde tempo com a família, perde tempo de lazer e em troca ganha uns trocados a mais. O comerciário é uma das categorias que mais sofre com jornadas de trabalho extenuantes. As longas jornadas de trabalho (na maioria pagas em banco de horas e não com horas extras) acontece porque os lojistas não contratam um número maior de comerciarios. Mesmo com o grande número de vagas abertas todo o fim de ano elas não se consolidam depois de março (término das férias) gerando uma grande rotatividade.

A abertura do comércio de rua nos finais de semana também não gera mais turismo. Você viaja para uma outra cidade para comprar uma geladeira? O turismo é gerado por uma série de outras medidas. Numa cidade onde restaurante fecha às 22 horas, achar que somos turísticos é bobagem.

Tá na hora do empresariado começar a seguir mais exemplos como esse e se preocupar menos com o lucro e mais com que constrõem a sua riqueza no dia a dia.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Água virá mais "salgada" em nossas torneiras

Seguindo a política de "morde e assopra", na mesma semana em que o prefeito Sartori manteve o aumento da passagem de ônibus próxima a inflação (tem coisa aí), ele jogou "sal grosso" no reajuste da tarifa de água.

O decreto que será publicado amanhã, e vale para as contas que vencem em março de 2013, reajusta o m³ de água em 19,6%. Isso representa um aumento de R$ 3,30 para quem paga a taxa mínima de 5 m³ (que terá o valor de R$ 20,20). A justificativa dada pelo futuro diretor presidente do Samae, Eloi Frizzo (PSB), para o reajuste mais de 3 vezes superior a inflação, é para recuperar os ganhos previstos com a tarifa do Fundo Municipal da Água (que apelidamos de Taxa Sartori), considerado ilegal pela Justiça.

Por tras disso, na verdade, está o descontrole financeiro da autarquia. Enterrada em dívidas, pois teve que gastar muito e muito rápido para fazer com o Marrecas estivesse pronto para servir de "cabo eleitoral" da situação, o Samae ficou com problema de caixa. O tal Fundo de Recursos Hídricos foi criado para a aquisição de novas terras e preservação de mananciais, mas nem um ano depois de ser criada ela já era usada para tapar furos no caixa da estatal.

Também é falso dizer que o reajuste é para cobrir a diferença da arrecadação do taxa considerada ilegal pela justiça. A taxa era um valor único que era cobrado não importanto o quanto de água você gastasse. A tarifa de água é escalonada. Depois dos 5m³ você paga mais se consome mais. E tem mais um porém. O Samae não está dando nenhum sinal de que vai devolver o valor cobrado, ilegalmente, dos usuários por quase dois anos.

Infelizmente temos pouco poder de fiscalização pois o governo conseguiu "garantir" uma maioria confortável para ele aplicar a políticia que quiser. Só nos resta gritar, talvez se fizemos bem alto algo mude.

Aumento da passagem de ônibus e o jogo do cena de Sartori

Como já havia sido "anunciado" pelo Pioneiro e alertado aqui pelo Polenta News (leia aqui), o prefeito José Ivo Sartori (PMDB) fez um "teatrinho" para fixar o novo valor da passagem de ônibus urbano abaixo do valor decidido pelo Conselho Municipal de Trânsito e Transportes (CMTT).

Em 19 de dezembro, dois dias antes da reunião do CMTT, a coluna Mirante, do Pioneiro, já afirmava que o prefeito sancionaria um valor perto da inflação, ou seja, a passagem de ônibus iriam para R$ 2,85. Em 21 de dezembro o CMTT aprovou por 11 a 2 o valor de R$ 2,92 seguindo as tais planilhas que ninguém tem condições de avaliar direito.

O Polenta News alertou que havia um jogo montado para que o prefeito saisse do bonzinho, no final do mandato. Se já havia essa predeterminação de escolher um valor menor por que os conselheiros, representantes da prefeitura não votaram nesse valor menor? O valor de R$ 2,85 recebeu 2 votos apenas, do DCEUCS e da UAB. Se acreditassemos em Papai Noel a explicação para isso seria que o prefeito foi convencido pelos argumentos das duas entidades, ou seja, o DCE e a UAB seriam responsáveis pelo reajuste menor da passagem de ônibus. Porém é difícil acreditar nessa história, por mais que isso fique bom para as entidades.

Por trás dessa história talvez se esconda algo muito pior. O governo Sartori entrou com uma Ação de Inconstitucionalidade, contra a lei que ele mesmo sancionou, que dava passa livre para pessoas entre 60 a 65 anos. A prefeitura ganhou a causa e o desconto só foi mantido porque era ano eleitoral. Agora, governo novo, reajuste menor, está com o caminho trilhado para que o decreto, que manteve o passe livre, seja revogado.

Com esse índice de reajuste a passagem de ônibus subiu 78,12% durante os 8 anos do governo Sartori. A inflação, no mesmo período, ficou em 43,88%. Mesmo com um reajuste próximo a inflação, dessa vez, há um grande "aumento real" no valor da passagem de ônibus de Caxias do Sul.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Câmara de Vereadores de Caxias do Sul tem a marca da impunidade em 2012

Faltou Óleo de Peroba, esse ano, na Câmara
#impunidade.Essa devia ser a palavra chave para resumir o ano de 2012 na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul. Porém houve um silêncio sepucral tanto por parte da mídia e, como era de se esperar, da própria Câmara. A presidência da vereadora Geni Peteffi (PMDB) conseguiu de uma vez só inocentar uma agressão físíca e deixar sem punição um vereador flagrado falsificando assinatura em atestado médico.

Tudo começou em 2011 quando se descobriu que Harty Moises Paese (PDT) falsificou atestados médicos para justificar suas ausências nas sessões da Câmara de Vereadores. Usuário de drogras, Paese ficava diversos dias perdido em maratonas de uso continuo, isso ele mesmo admitiu. Numa reportagem publicada pelo Polenta News em 28/11/11 (leia aqui), logo após a sua renuncia ao mandato ele declarou:

"Considerando o desapego ao poder em minha vida, resolvi renunciar. Não sei se teria o mandato cassado, mas errei por omissão de não estar vigilante na Câmara. Se houve o erro, tem de haver a apuração. Por isso, eu saio. Tenho que priorizar a minha vida."

 Uma comissão processante foi instalada para julgar se Paese tinha quebrado, ou não, o decoro parlamentar, o que poderia enquadrá-lo na Lei da Ficha Limpa. Porém o mesmo vereador que pediu a apuração dos fatos, mentiu novamente, e entrou com uma ação para impedir os trâmites da comissão.

Em 10 de maio desse ano, Pedro Incerti (PDT), relator da comissão, mudou por conta própria o parecer que havia sido aprovado (leia aqui). O parecer de Incerti inocentava seu colega de partido e pedia o arquivamento do processo. Quando o presidente da comissão processante, Rodrigo Beltrão (PT) soube desse parecer falso, destituiu Incerti e redigiu um novo parecer com o que foi decidido pela comissão. Contrariado, Incerti partiu para agressão física e atacou Beltrão na entrada do plenário (leia aqui). Mesmo assim uma ação na justiça impediu a realização da sessão que julgaria Paese. A partir daí a decisão ficou para a justiça. Um misto de má vontade da Assessoria Jurídica da Câmara, somada com uma clara tendência de acobertamento, acabou deixando o processo se esvair. Daqui há 5 dias encerra a atual legislatura e, fora uma condenação posterior por falsidade ideológica, Paese que confesou falsificar assinaturas para receber o dinheiro das sessões que faltou estará livre para concorrer as eleições daqui a dois anos (poderia já ter concorrido nessa), ou seja, por incrível que parece ele é um "Ficha Limpa" e viva a impunidade.

As agressões de Pedro Incerti

O caso Pedro Incerti teve o mesmo fim. A comissão processante considerou Incerti culpado e Beltrão inocente no caso. A comissão sugeriu o afastamento do suplente de vereador por 2 meses. Porém uma manobra regimental, com conivência da presidente Geni Peteffi, articulada por seu colega de bancada, Gustavo Toigo (PDT), trouxe para sí a possibilidade de fazer outro parecer. Por incrível que parece duas "assessorias" pagas com dinheiro público acharam que sair no tapa numa Câmara de Vereadores é uma coisa menor e sugeriram uma advertência ao vereador pedetista. Advertencia do tipo: "não faça mais isso".

A pizza estava servida (leia aqui). A bancada do PDT, com auxílio da base de apoio ao governo Sartori, conseguiu transformar dois atos extremamente graves em duas grandes pizzas. Venceu a impunidade. Venceu o corporativismo. Em 2013 a correlação de forças estará ainda pior. A bancada da impunidade tem mais peso, capitaneado pelos votos de um ex jogador de futebol, que não assumirá o mandato. A população não condenou o corporativismo, elegendo, ou deixando na suplência os envolvidos, mostra também que o discurso contra a impunidade é seletivo.

Resta esperar para que mais barbaridades como essas não aconteçam em 2013.

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Povo confia mais em Dilma que no STF, na mídia e no Congresso

Publicado originalmente em Rede Brasil Atual

Pesquisa do Ibope divulgada hoje (24) mostra que praticamente a metade dos brasileiros não confia no Supremo Tribunal Federal (STF), e 65% não depositam confiança no trabalho do Congresso. Os dois poderes envolvidos em um bate-boca político neste fim de ano mostram-se menos confiáveis aos olhos da população que a presidenta Dilma Rousseff, que em pesquisa divulgada no começo de dezembro obteve taxa de 73%.

Segundo dados publicados pelo jornal O Estado de S. Paulo, o índice de 54% obtido pelo STF fica bem abaixo da instituição mais confiável, o Corpo de Bombeiros, com 83%, e está nove pontos atrás da Presidência da República como um todo, que recebe voto de confiança de 63% dos entrevistados.

Esta foi a primeira vez que a sondagem mediu o índice de confiança no Supremo, que ocupou toda sua agenda do segundo semestre com o julgamento da Ação Penal 470, o chamado mensalão. Nas últimas semanas, os magistrados acirraram o clima com o Legislativo ao definir pela cassação de mandato dos deputados condenados pelo caso – segundo a Constituição, apenas os próprios parlamentares podem definir este tipo de questão. Entre junho e dezembro, o respaldo ao trabalho do Judiciário como um todo foi de 53% para 47%.

Os que mais confiam no trabalho dos ministros do STF são os mais ricos (60%), os moradores das regiões Norte e Centro-oeste (60%) e os que têm mais de 50 anos de idade (56%).

Em meio a pequenas variações no geral, a pesquisa do Ibope mostra que os brasileiros têm confiado cada vez menos nos meios de comunicação. Em quatro anos, o índice de aprovação do trabalho da imprensa em geral recuou de 71% para 60% – abaixo, portanto, do Planalto.

O Congresso, que despertava a confiança de 36% dos entrevistados em junho, foi agora a 35%, próximo do índice obtido pelos partidos políticos. Ambos figuram atrás da polícia, com 40%, e do sistema eleitoral, com 54%.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Até tragédia vira opção de negócios para industria armamentista

Enquanto o país lamenta as crianças mortas, lobby
armamentista vê possibilidade de lucros
Uma entrevista do vice presidente executivo da NRA (sigla em inglês para Associação Nacional de Rifles), Wayne LaPierre, bateu em cheio naquelas pessoas que ainda choram a morte de 26 pessoas, 20 delas crianças entre 6 e 7 anos, na escola Sandy Hook, em Newtown.

A sugestão de LaPierre é que existam guardas armados em todas as escolas do país, ou seja, ele viu uma ótima perspectiva de negócios no meio de uma tragédia. O NRA é uma instituição criada em 1871, e que faz um forte lobby, nos Estados Unidos, contra qualquer tipo de restrição a posse ou controle de armas.

As armas usadas por Adam Lanza, foram compradas legalmente por sua mãe, que foi a primeira vitima. Ele usou uma Glock 10 mm, Sig Sauer 9 mm, e um fuzil Bushmaster. Além disso ele possuía grande quantidade de munição. Na maioria dos estados americanos é tão simples comprar armas, inclusive de alto calibre, que elas são vendidas até pela internet.

Essa e outras tragédias formam uma trilha de sangue na sociedade americana. Lá há quase uma arma para cada habitante, mesmo assim as crianças são mortas as dezenas. LaPierre justificou sua proposta comparando as escolas com bancos, aeroportos e prédios governamentais. Porém a diferença fundamental é que em nenhum caso de chacina, nas escolas americanas, o atirador, ou atiradores, tinha a intenção de levar alguma coisa de valor. Na maioria dos casos são atiradores suicidas. Portanto a ideia de ter mais e mais pessoas armadas nas escolas não significa que as mortes irão diminuir.

Esse é um grande exemplo que tem que nos fazer pensar. O Brasil tem uma política oficial de desarmamento, que considera crime a posse de arma sem registro e dificulta, em muito, a sua posse legal. Essa foi uma atitude correta pois a maioria dos assassinatos cometidos tem 3 causas: acerto de contas entre bandidos, crimes passionais e por motivo fútil. No primeiro caso o porte das armas já são ilegais mesmo e só ações polícias muito fortes podem desarmar, de verdade, os bandidos. No segundo caso falta redes de proteção, principalmente às mulheres, para evitar agressões, e também está presente a cultura machista e possessiva de nossa sociedade. O terceiro é o que resulta em mortes por briga de trânsito, briga sobre futebol, sempre ligado ao consumo excessivo de bebidas. Retirando as armas de fogo você consegue, pelo menos, diminuir a incidência dos dois últimos.

O presidente Barack Obama vai tentar, no Congresso americano, passar uma legislação que preveja algum controle a compra de armas. Porém o lobby, milionário, da NRA, interessada nos lucros da indústria armamentista, pode, com certeza, comprar a maioria para evitar que a legislação passe.

domingo, 23 de dezembro de 2012

Prefeitura tenta esconder a verdade sobre morte de pombas na praça

Secretário deve
explicações à comunidade
Não parece haver dúvida de uma coisa. As mais de 100 pombas que já morreram no centro da cidade foram envenenadas. Nem é preciso laudos criminalisticos para comprovar isso basta as evidências. Há testemunhas. Um vigilante diz que viu um homem, de madrugada, jogando um farelo entre os canteiros. Algum tempo depois as pombas começaram a morrer. Quem jogou o "farelo" o fez de uma maneira que iria atrair as pombas, já acostumadas ao alimento que era trazido pela aposentada, Idiati Macan Mondin.

O que precisa saber é para quem, ou porque, esse homem agiu.

O impressionante é que a prefeitura está tentando jogar panos quentes no assunto. Populares tem dito que as pombas são jogadas no lixo, pelo vigilantes, antes da imprensa chegar. O secretário de meio ambiente, Nestor Pistorello, não solicitou, até agora, as imagens das câmeras de vídeo da praça, que poderiam mostrar quem espalho o "farelo". A secretária de saúde, Maria do Rosário Antoniazzi, diz que um lote de animais mortos foram enviados à UFRGS para análise, porém não soube dizer para onde mandou. A UFRGS, por sua vez, nega que recebeu qualquer pedido, da prefeitura, para análise de animais mortos.

A atitude dos gestores municipais nesse caso é quase criminosa pois estamos lidando com saúde pública. O que envenenou as pombas pode ter contaminado o solo, os bebedouros, plantas e sabe-se lá mais o que na redondeça. Se mata pombas, qual o mal pode fazer para outros animais ou para as pessoas?

O vigilantes são forçados a mentir, o Secretário do meio ambiente mente, a Secretária de saúde mente e o prefeito, mais uma vez, não diz nada. Estamos perdidos!

Tamanha atrapalhação tem duas justificativas, ou os representantes do poder público sabem quem fez e estão acobertando o autor ou são incompetentes mesmo. Se acobertam são criminosos, se são incompetentes, alguns deles continuaram administrando Caxias.

Apuração independente

A Soamma enviou seis pombas mortas para análise do setor de patologia da Faculdade de Veterinária da UFRGS. Só que nesse caso a UFRGS confirmou o recebimento do material (ao contrário daquele que supostamente foi enviado pela prefeitura). Segundo Natasha Valenti, integrante da ONG, ainda há mais três animais que sobreviveram e que estão na chácara da ONG. A Soama pediu que o Ministério Público investique o caso e que sejam solicitadas as imagens das câmeras de segurança, atitude não tomada pela prefeitura.

sábado, 22 de dezembro de 2012

Obra mais cara e polêmica da história de Caxias é inaugurada. Incompleta!

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
O que não faz poítico em fim de mandato para deixar o nome na placa, né? Inaugura até obra incompleta. A barragem do Marrecas, a mais cara e controversa obra da história de Caxias, foi inaugurada hoje, porém nenhuma gota de água de lá estará nas torneiras de nossas casas por vários meses. Isso porque, além do lago da represa não estar cheio ainda há obras que ainda estão sendo licitadas ou terminadas. Se tudo correr bem somente em abril ou maio, ou talvez no inverno, a barragem estará operando em parte da sua capacidade.

Apesar disso uma grande festa foi marcada para hoje e os meios de comunicação, que recebem fartos recursos públicos em publicidade, só tecem elogios ao grande feito do prefeito Sartori. Nós, que não recebemos esses recursos, podemos falar o que os outros esquecem.

Com certeza a obra beneficiará milhares de pessoas, isso não há dúvida, mas a que preço? O orçamento inicial de R$ 100 milhões, mais do que dobrou, chegando a R$ 250 milhões. Boa parte desse dinheiro é um financiamento, que será pago pelos próximos prefeitos. Para quem vive dando discurso que obras públicas jogam dinheiro no ralo, uma obra que custa o dobro do orçado inicialmente não deveria deixar a população, no mínimo com uma pulguinha atrás da orelha?

Outra questão controversa foi a ambiental. A obra projetada nos anos 1960 seguia uma lógica existente na época: "a natureza precisa ser domada". Em 50 anos evoluimos um pouco nesse conceito e também na tecnologia. A licença ambienta na Fepam foi conseguida com um "canetaço" durante o governo Yeda. O levantamento sobre o número de árvores que foram cortadas, entre elas milhares de pinheiros, foi feito no chute. Depois de uma batalha judicial o corte acabou autorizado já que o prejuizo seria muito maior, para os cofres públicos e não para a natureza. Corre, a boca pequena, que para ficar pronta para o enchimento do lago nem toda a mateira foi removida e parte dela teria sido enterrada no local.

Agora a obra está pronta. Resta saber quando o Samae irá reduzir o desperdício de água tratada em Caxias do Sul. Segundo dados da própria companhia 60% da água tratada é perdida antes de chegar em nossas casas, isso é o mesmo volume de água do Sistema Marrecas. A rede de água, principalmente a mais antiga tem constantes vazamos e o Samae não realizou nenhuma manutenção dessa rede pois todos os recursos estavam destinados para o Marrecas, que precisava ser inaugurado pelo Sartori. Vejam só como são as coisas.

Dilma demonstra republicanismo na inauguração da barragem

A presidenta Dilma, na inauguração da barragem do Marrecas, foi uma presidenta. Foi republicana. Isso é o que queremos de nossos governantes. Nesse quesito todos os atuais e futuros governantes se sairam muito bem. A vinda da presidenta se concretizou pela articulação feita pelo Ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas (PT), junto ao Palácio do Planalto. Isso deu mais peso a inauguração. Não é a primeira vez que a presidenta ressalta que a diversidade de nosso parque metal mecânico é exemplo para o Brasil. Ela fez isso novemente hoje, monstrando que o caminho seguido, por Caxias do Sul, foi o inverso de outros centros que acabaram se desindustrializando pela entrada de produtos, importados, mais baratos.

Dilma ainda falou da meta de erradicar a pobreza do Brasil, que desde o início do governo Lula, já tirou mais de 18 milhões de brasileiros da linha da pobreza.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

CMTT aprova aumento de 8% para a passagem de ônibus

Na manhã de hoje o Conselho Municipal de Trânsito e Transportes aprovou o reajutes da passagem de ônibus urbano, táxi lotação e táxis. Na reunião foram apresentadas as planilhas de custos, porém o tempo para analisar as várias páginas de cálculos é sempre tão pequeno que a votação acaba sendo por afinidade. Como os representantes do governo e dos empresários são maioria, no conselho, os reajustes sempre são aprovados.

A passagem de ônibus urbano, da Visate, foi reajustada de R$ 2,70 para R$ 2,90, um reajuste de cerca de 8%. Com esse índice, durante o período do governo Sartori a passagem de ônibus subiu 81,25%, quase o dobro da inflação. Onze conselheiros votaram a favor desse aumento e dois votaram contra (os representantes do DCE e da UAB).

A tarifa do táxi lotação subiu de R$ 2,90 para R$ 3,10 e a bandeirada do táxi foi de R$ 4,50 para R$ 4,90.

Todos os reajustes devem passar por sanção do prefeito Sartori. O Polenta News adiantou que há uma possibilidade do prefeito, jogar com a torcida, e indicar um valor mais baixo (leia aqui), porém essa é uma possibilidade remota.

Para a Visate o grande culpado pelo valor da passagem de ônibus são os estudantes e os velinhos que usufruem de gratuidades (parciais ou totais). Porém o grande problema, na verdade, é que o grande contingente de trabalhadores, principalmente da industria, não utilizam o transporte público. O empresariado de Caxias não confia na Visate para que seus funcionários cheguem no horário, então é mais vantajoso contratar um transporte particular.

Porém o discurso da Visate pode ganhar eco no novo governo. Com ampla maioria na Câmara de Vereadores ficaria fácil aprovar o fim, ou a diminuição drástica, das gratuidades. É esperar para ver.

Posse tardia do Conselho Municipal de Juventude

Após ser pressionada por diversos movimentos juvenis, a Secretaria de Juventude municipal conseguiu em 17 de junho de 2012 que o Prefeito Sartori sancionasse a Lei que cria o Conselho Municipal de Juventude.

O Conselho tem entre seus objetivos organizar, promover  e fiscalizar políticas públicas e ações voltadas à juventude e é composto por entidades estudantis, sindicais e organizações de juventude e, por parte do Poder Executivo, há a composição de diversas secretarias afins, como cultura, Meio Ambiente e Secretaria da Saúde. Nesses seis meses a Secretaria de Juventude não foi capaz de colocar o Conselho em funcionamento e, às vésperas do fim do ano, hoje, dia 21, o Conselho finalmente toma posse.

É uma pena que a posse ocorra assim, às vésperas do fim de um mandato, já que vários nomes indicados poderão ser alterados, o que fará com que o Conselho atrase ainda mais seus trabalhos. Na verdade, o Conselho toma posse só pra não ficar feio pro governo ter criado e não ter dado posse.

Caxias precisa urgentemente de mais políticas públicas voltadas à juventude. Emprego e renda, cultura e educação são áreas que precisam ter um corte juvenil para que a cidade cresça de forma harmoniosa e nossos jovens tenham condições de trabalho, estudos e acesso às mais diversas formas de cultura e lazer. A cidade precisa olhar para sua população pensando nas realidades de gênero, etnia, idade e classe social, construindo ações voltadas especificamente para cada grupo.

São os jovens que estão na maior parte dos empregos informais, são os jovens  que recebem os piores salários (principalmente negros e mulheres) e estão nos postos mais precários. Além disso, estudo recente do Observatório da UCS revela que, de cada 10 desempregados em Caxias do Sul, 4 são jovens.

Caxias carece de espaços culturais e de lazer, o que propicia a violência e a ociosidade. Isso é latente há muitos e muitos anos.

Que em 2013 o Conselho Municipal de Juventude possa realmente colocar a mão na massa e atuar efetivamente junto à população jovem de nossa cidade.


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Piada de mau gosto publicada no Pioneiro indigna professores

Uma piada, de profundo mau gosto, publicada na edição de 10 de dezembro do jornal Pioneiro, ou O Burgueseiro como chamamos aqui, indignou os professores. A piada, que pode ser conferida na imagem ao lado, é uma das milhares de variações do tema "joazinho e a professora" e, além do mau gosto, faz graça com a violência e o ataque moral dentro da sala de aula.

Entre os vários comentários que a postagem no Facebook recebeu a grande maioria questiona se esse tipo de piada não é uma contradição a campanha, do grupo RBS, "A educação precisa de respostas". Silvia Ribeiro postou: "A RBS quer respostas sobre educação, mas é só dar uma olhadinha no correspondente deles que já terão ao menos uma, DESRESPEITO". Austinho Filho é mais enfático: "
Não podemos dar credibilidade para RBS, eles não tem noção do que é educação, e nem sobre os professores, porque eles não compartilham". 

Piadas de mau gosto, preconceituosas e que estimulam o preconceito não fazem bem nenhum a sociedade. Fazer humor, inclusive, usando essas "bengalas", é muito fácil, pois já são locais "seguros" e garante "risadas" do senso comum. 

Infelizmente tem virado moda se contra o politicamente correto e, por conta disso, proferir absurdos usando como justificativa a "liberdade de expressão" e o humor. A sociedade precisa ficar vigilante quanto a isso, pois de passo a passo o mau gosto ganha espaço.

*Queremos agradecer quem marcou o Polenta News na postagem por reconhecer que temos o senso crítico necessário para pautar esse assunto.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Pombas aparecem mortas na praça. Um retrato da falta de gestão do município

Mais de 50 pombas apareceram mortas na manhã de hoje na Praça Dante Alighieri. A suspeita é que elas teriam sido envenenadas por um farelo, de cor amarelo, que estava espalhado pela praça. Uma equipe da Secretaria de Meio Ambiente recolheu as pombas e amostras do farelo para análise.

O secretário do meio ambiente, Nestor Pistorello, afirmou que será feita uma análise dos pombos e da ração com urgência, para apurar o que aconteceu. "Primeiro vamos verificar a origem, depois veremos como proceder. É um crime ambiental, um dano a uma ave que não se admite".

Tudo muito protocolar.

Porém o problema é muito maior. O que aconteceu na praça Dante representa o total descontrole, na área ambiental, do poder público municipal. São duas a hipóteses: ou alguém misturou veneno a comida (já que há uma cidadã que alimenta os pombos todos os dias e eles já estariam acostumados), ou a ação de detetização, para eliminar os ratos da praça, e que como efeito colateral matou os pombos.

Em ambos os casos agentes venenosos estariam expostos e poderiam atingir a população e até outros animais que frequentam a praça. E não é só o caso das pombas. Tem ainda a poda desenfreada e sem critério das árvores pelas ruas da cidade. O corte, também sem aparente critério, de árvores. As inúmeras vezes que o Tega amanhece, das mais variadas cores, por conta do despejo de dejetos industriais (isso sem falar nos outros arroios que não vemos pois estão canalizados).
 
É necessária uma resposta urgente e contundente dos órgãos ambientais para que situações como essas não se repitam.

Presente de Natal de caxiense é aumento da passagem de ônibus

Campanha criada pelo movimento contra o aumento
Nada atinge mais o trabalhador do que o aumento da passagem de ônibus. Em Caxias isso é pior, pois aqui, quem trabalha em uma média ou grande empresa tem transporte próprio da empresa, os outros tem até vale transporte. Mas o trabalhador informal, o autônomo, aquele que ainda não está incluído na legislação de proteção ao trabalhador é o que mais sofre. Sofre, também, todos os que tem filhos na escola, que mesmo com a meia passagem, tem uma parte de seu orçamento ocupado pelo custo de transporte.

Já faz anos que a reunião do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, que quase sempre reune-se uma vez por ano apenas, acontece no final do ano, nas vésperas do Natal. Nesse ano não será diferente. A reunião do conselho estaria agendada para às 10 horas do dia 21 de dezembro, sexta feira, (1 hora depois do "fim do mundo" pelo calendário Maia).

Segundo a Secretaria Municipal de Trânsito os cálculos para no novo reajuste apontariam um aumento de 8,15% no valor da passagem. Com isso ela passaria dos atuais R$ 2,70 para R$ 2,92 (com o arrendodamento ela ficaria em R$ 2,90). Porém ninguém nunca consegue conferir esses "cálculos". Os conselheiros receberão a planilha no momento da reunião e terão alguns minutos para ler dezenas de páginas que são incompreensíveis a todos os presentes.

Durante todo o período do governo Sartori a passagem de ônibus foi reajusta em 68,75% (excluíndo o próximo reajuste). A inflação nesse mesmo período foi de 43,88%, ou seja, os reajustes concedidos ao transporte público superaram, em muito, os índices inflacionários. Sem falar que nesse período houve a renovação do contrato de prestação de serviço para a Visate.

Porém pode ser que a reunião do Conselho de Transportes possa ser puro jogo de cena. Por desconhecimento do processo de reajuste ou por fazer pouco caso mesmo, o colunista Marcio Serafim, na coluna Mirante de hoje, afirmou que o prefeito Sartori já teria se decidido pelo valor de R$ 2,85 que seria apenas o repasse da inflação (5,56%). Se acontecer do conselho aprovar um índice maior e o prefeito optar por um menor fica claro que já havia uma combinação para fazer um agrado falso. 

Mobilização contra o aumento

Uma mobilização, que começou pela internet há algumas horas, busca questionar esse novo aumento. O movimento tem uma página no Facebook (acesse aqui). Em 12 horas já havia 260 curtirs na página.

Além do aumento ainda há a perda de direito. A prefeitura questionou a constitucionalidade, e ganhou, da gratuitade para pessoas entre 60 e 65 anos. Ela foi mantida por decreta do prefeito, para evitar desgaste durante a eleição. Deveria ter sido feito um cadastro dos usuários nessa faixa etária, o que não foi feito.

Também tramita pela Câmara de Vereadores um projeto de emenda à Lei Orgânica (LO) do município que retira, da LO, o direito a meia passagem estudantil. Há muito tempo a Visate briga contra as gratuidades, e tem um bancada muito grande na próxima legislatura para aprovar as mudanças.

Os gargalos do transporte público de Caxias

O transporte público caxiense é caro e ineficiente. Isso os empresários de Caxias do Sul já sabem faz tempo. Tanto que para garantir que seus trabalhadores cheguem com comodidade e, principalmente, no horário, contratam serviços privados de transporte. A frota, privada, de ônibus é maior do que a frota da Visate. Isso contribuí para  que o valor da passagem seja mais caro.

Outro problema são os corredores de ônibus, que em horários de pico, ficam lotados diminuíndo a velocidade e causando demoras e atrasos. Isso só se resolve com ações como a proibição de conversões a direita em todas a quadras e a implantação da troncalização.

Somado a isso, a ampliação do serviço de táxi lotação que estava parada há meses terá a licitação cancelada. O processo de licitação foi tão mal feito pela prefeitura que gerou dezenas de pedidos de revisão que inviabilizaram, em definitivo, o processo todo. Os táxis lotação são elementos importantes para o transporte público, pois, além de prestarem um serviço diferenciado, cumprem itinerários que não são realizados pela Visate.

Enquanto não atacarmos esses gargalos não será o BRT, nem outra invenção de ocasião, que melhorará o transporte público de nossa cidade.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Oposição ao governo Dilma garante pizza na CPI do Cachoeira

Odair Cunha: houve uma articulação para
blindar Perilo e a Delta [Foto:Alexandra
Martins]
A bancada oposicionista ao governo federal conseguiu rejeitar o relatório final da CPI do Cachoeira. Por 18 votos a 16 o relatório oficial, do deputado Odair Cunha (PT-MG) foi rejeitado e, em seu lugar, foi aprovado um relatório paralelo, com uma página e meia, do deputado Luiz Pitiman (PMDB-DF), que não cita nenhum nome.

Para o relator da Comissão o relatório paralelo “É um nada, que não leva a lugar nenhum, não tem nenhum efeito prático”, criticou Odair Cunha, ao definir o texto aprovado. Ele argumentou que seu relatório foi rejeitado porque “houve na comissão uma articulação para blindar o governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB, e a empreiteira Delta”.

O relator havia incluído o Procurador Geral da União, Roberto Gurgel e Pilicarpo Júnior, da Veja. Porém Cunha cedeu a pressões e retirou os dois nomes do relatório. Mesmo assim a atitude não garantiu a aprovação do mesmo. “Queriam que eu retirasse a Delta e o Perillo. Isso não posso fazer, pois se trata das ramificações empresarial e política da organização criminosa” comandada pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, justificou.

Quando o PIG percebeu que as investigações da CPI podiam atingir seu maior representante, a Revista Veja, e suas relações com o contraventor Carlos Cachoeira e sua quadrilha, procurou maneiras de esvaziar a CPI. A primeira ação foi desacreditar os trabalhos qualificando-a de governista. A segunda foi impedir a convocação de Policarpo Júnior, responsável pela sucursal da Veja em Brasília, que trocou centenas de telefonemas com Cachoeira que escolhia até a página que saia as reportagens que ele encomendava.

A ação seguinte foi inundar o pais com mais de 240 horas de transmissão do julgamento da AP 470, para criar a cortina de fumaça ao redor de seus interesses. O PIG e a oposição, conseguiram, por fim, que o relatório final, não fosse relatório nenhum.

Como votaram os deputados e Senadores em relação ao relatório final de Odair Cunha:

A favor:

Senadores:

Jorge Viana (PT-AC)

Lídice da Mata (PSB-BA)

Pedro Taques (PDT-MT)

Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM)

Aníbal Diniz (PT-AC)

João Costa (PPL-TO)

Randolfe Rodrigues (PSOL-AP)

Deputados:


Cândido Vacarezza (PT-SP)

Odair Cunha (PT-MG)

Paulo Teixeira (PT-MG)

Íris de Araújo (PMDB-GO)

Ônix Lorenzini (DEM-RS)

Glauber Braga (PSB-RJ)

Miro Teixeira (PDT-RJ)

Rubens Bueno (PPS-PR)

Jô Moraes (PCdoB-MG)


Contra:

Senadores:
 
Sérgio Petecão (PSD-AC)

Sérgio Souza (PMDB-PR)

Ciro Nogueira (PP-PI)

Ivo Cassol (PP-RO)

Jayme Campos (DEM-MT)

Alvaro Dias (PSDB-PR)

Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)

Antonio Carlos Rodrigues (PR-SP)

Marco Antonio Costa (PSD-TO)

Deputados:

Luiz Pitiman (PMDB-DF)

Carlos Sampaio (PSDB-SP)

Domingos Sávio (PSDB-MG)

Gladson Cameli (PP-AC)

Maurício Quintela Lessa (PR-AL)

Sílvio Costa (PTB-PE)

Filipe Pereira (PSC-RJ)

Armando Vergílio (PSD-GO)

César Halum (PSD-TO)

Com informação da Agência Câmara de Deputados e Agência Senado



 

Polentinhas: Corlatti de diz decepcionado



“Decepção é o preço que se paga por não ser interesseiro,afinal esta é a forma de fazer política no Brasil."
A frase acima foi escrita por Milton Corlatti, candidato a prefeito pelo DEM, ontem em seu perfil no Facebook. Ela é uma resposta ao ingresso do DEM na base aliado do governo Alceu.

Segundo Corlatti ele não participou das discussões, se é que houve, sobre o ingresso do partido na base aliada. Nas eleições de outubro Corlatti fez 3% dos votos e também desferiu fortes críticas ao governo Sartori. O presidente do DEM, Odir Ferronatto, foi exonerado do seu cargo na Festa da Uva, durante a campanha e a coligação de Alceu entrou com uma representação contra Corlatti que depois foi julgada como litigancia de má fé (veja aqui).

Parece, porém, que tudo isso ficou para trás. O DEM elegeu um vereador, Neri, o carteiro. Parece que a sede de poder fácil já contagiou o novo vereador, e fez com que a direção de seu partido relevasse o passado recente.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Um secretáriado de velhos e novos conhecidos

Foto: Luiz Chaves
O secretariado do novo prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT) até pode ter a sua cara, mas também ele representa a síntese das velhas e tradicionais famílias políticas de Caxias do Sul. Há, na verdade, poucas novidades entre os 20 secretários anunciados no sábado, dia 15.

Manoel José Souza Marrachinho (PTB), João Wianey Tonus (PMDB), Francisco de Assis Spiandorello (PSDB), Carlos Burigo (PMDB), Adivandro Rech (PR), Adiló Ângelo Didomenico (PTB), Victório Giordano da Costa (PDT), Paulo Roberto Dahmer (PSB), Jaqueline Marques Bernardi (PMDB), Roberto Soares Louzada (PMDB), Fábio Vanin (PP), Edson Néspolo (PDT), Édio Elói Frizzo (PSB) são nomes de políticos tradicionais da cidade ou da segunda geração de políticos tradicionais. Isso demonstra que o programa conservador apresentado por Alceu durante a campanha terá muitos representantes dessa linha. Isso não é um problema em sí já que estava no programa de campanha, porém quem perde com isso é a cidade, que perde a oportunidade de deixar de ser uma província com 400 mil habitantes.

Os partidos da base do governo que elegeram vereadores foram contemplados no secretariado. Coube ao PDT o maior número de secretários (7), depois vem o PMDB (6), grande responsável pela vitória do Alceu. O PSB, apesar de ser pequeno ganhou 3 pastas, muito pela fidelidade de Eloi Frizzo durante os dois mandatos de Sartori. Adiló (PTB), como era de se esperar, foi brindado com a Secretaria de Obras.

Mesmo o PSDB, cujo único vereador, Daniel Guerra, vota constantemente contra o governo, recebeu um afago com a indicação de Francisco Spiandorello como Secretário de Desenvolvimento Econômico. Spiandorello foi Secretário de Urbanismo, durante o governo Sartori, e foi responsável pela liberação  irregular de um conjunto habitacional privado ao lado do aeroporto.

O PR foi o único partido, que não elegeu vereador, que está no primeiro escalão do governo. Adivandro Rech, presidente do partido na cidade, será o novo Secretário de Meio Ambiente.

Alexandra Baldisserotto, casada com Alceu Barbosa Velho, foi indicada para Coordenadora de Comunicação, porém o Polenta News havia alertado que a situação, no mínimo, poderia ser considerada nepotismo (leia aqui). Fomos os únicos a noticiar isso. Porém, para evitar maiores polêmicas, o futuro prefeito anunciou que ela ficará com o mesmo salário que recebia na Secretaria de Agricultura, onde é lotada, sem CC, nem FG. Esse é o discurso, vamos ver a prática.


Nomes sem expressividade

Alguns nomes, porém, são de pouca expressividade. Adriana de Lucena (PP), a Drica, ganhou de presente a Secretaria de Turismo. A secretaria tem poucos recursos, está envolvida em duas denúncias no Ministério Público (uma por contratação de parentes e outra por contratação irregular durante a Festa da Uva) e com nenhuma política pública para a área, há poucas perspectivas que o Caxias avance nessa área. Fica mais do que evidente que essa indicação foi para contemplar aliados.

Outro caso é no Orçamento Comunitário que ficará a cargo de José Dambroz (PSB). Nada indica que a participação popular, que não existia no governo Sartori, exista no governo Alceu. O Orçamento Comunitário, há 8 anos é um faz de conta que serve mais para ter agentes políticos liberados para fazer propaganda do governo do que para empoderamento da população ou de escolha de prioridades. O orçamento do programa, para 2013 é de parcos R$ 12 milhões, o que não propicia a sua efetivação.

Áreas importantes não tiveram indicações de políticos

Duas mulheres comandarão duas pastas de extrema importância no futuro governo. Marléa Ramos Alves (PDT) e Dilma Maria Tonolli Tessari serão as titulares da Secretaria de Educação e de Saúde, respectivamente. Na educação, que tem o maior orçamento, é comum o lema de que se o secretário não atrapalhar tudo funciona bem, justamente por tem um corpo técnico bastante qualificado. A única vez que a educação foi mal foi quando Mariza Abreu foi secretária, no primeiro governo Sartori. Marlea foi candidata a vereadora nas últimas eleições e fez 392 votos.

Já a Secretaria de Saúde que foi o "calcanhar que Aquiles" da atual administração recebe uma médica como titular da pasta. Sua missão é contornar o "estado de greve" que a categoria médica mantém há quase 1000 dias e as longas filas, falta de profissionais, problemas de infraestrutura e outros gargalos que atingem a saúde de Caxias do Sul. Porém há uma grande probabilidade da visão de gestão "medicocentrista" que desprivilegiaria o trabalho multidisciplinar. A gestão em saúde de Caxias do Sul, inclusive, já recebeu apontamentos do TCE, sobre as falhas de gestão da Estratégia de Saúde da Família.

A lista de espera

Alceu já afirmou que cumprirá o acordo de um CC8 para cada partido que participou da coligação que elegeu o prefeito. Com a entrada do PCdoB e do DEM (para espanto do candidato a prefeito Milton Corlatti) são 19 partidos. Oito já foram contemplados. Falta 11, isso mesmo 11! Essa turma toda será encaixada no segundo escalão e em outra diretorias. 


sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Se fosse em Cuba aparecia no Jornal Nacional, mas como e na Palestina...

Samer Issawi está a 137 dias em greve de
de fome juntamente com Samel Al-Issawi
Samer Al-Issawi é um Palestino está em greve de fome há 135 dias. Ele foi solto num dos acordos feitos entre Israel e a Autoridade Nacional Palestina, porém foi preso logo em seguida. Ele está em detenção adminstrativa, ou seja, não há acusação, não há julgamento, não há sentença. Como ele outros 210 palestinos se encontram na mesma condição.

As prisões administrativas, de longo período, contrariam as leis internacionais. O secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, declarou que “Os detidos devem ser autorizados a contestar sua prisão e, na ausência de acusações formais, devem ser liberados imediatamente.”. O recado enviado à Israel foi durante a Conferência Internacional de Solidariedade a Detentos Palestinos e Árabes em Prisões Israelenses nos Territórios Ocupados, realizada nesta terça-feira, dia 11, em Bagdá, no Iraque. “Peço que Israel respeite suas obrigações no âmbito do direito internacional humanitário, incluindo a Quarta Convenção de Genebra”, acrescentou o Secretário-Geral. “A libertação de prisioneiros palestinos seria um gesto importante.”

A situação de Samel Al-Issawi é crítica. A Cruz Vermelha afirmou que a sua saúde está muito debilitada, mas ele ainda está vivo. Ele não pode se mover, nem ir ao banheiro sozinho. Ele já caiu diversas vezes no hospital e, por várias ocasiões, não recebeu auxílio médico adequado.

Mas ele é palestino e por isso seu caso não está ganhando notoriedade ao contrário do que aconteceu com Orlando Zapato, preso cubano, que morreu numa greve de fome em 2010. Esse caso aconteceu durante uma visita do ex-presidente Lula a Ilha. Naquela época os jornais brasileiros fizeram uma série de matérias sobre o caso. Fica a pergunta porque o silêncio da mídia brasileira sobre o caso palestino?

Atualmente há 4660 palestinos presos em unidades israelenses. Deste 200 são crianças ou adolescente.


PCdoB integrará o governo Alceu

Vereador Renato Oliveira deve ser confirmado amanhã
como Secretário de Habitação
Pouco mais de 60 dias após as eleições. Esse foi o tempo que o PCdoB levou para reavaliar sua posição sobre o governo Sartori/Alceu. Na manhã de hoje o partido confirmou que irá participar do futuro governo Alceu, na pasta da Habitação, com o vereador reeleito, Renato de Oliveira. Com a saída de Renato da Câmara a vaga será ocupada pelo primeiro suplente, Henrique da Silva.

Durante as eleições o candidato comunista, Assis Melo, fez pesadas críticas a administração Sartori, principalmente na área da Saúde. Sartori elegeu seu sucessor, Alceu e agora ao que parece o PCdoB mudou o discurso, ou simplesmente irá relega-lo.

O Polenta News já alertava para esse excesso de pragmatismo (leia aqui) dos comunistas caxienses. Nós continuamos com a mesma convicção. Apesar de ser cedo para afirmar, tudo indica que o governo Alceu não tem como ser muito diferente do governo Sartori. Se apenas cumprir o que foi prometido em campanha ele será igual. E isso deve ser visto pelo lado de quem acha que estava bom e de quem acha que estava ruim. Uma mudança muito brusca de gestão ou de linha política, sim, causaria estranheza. Portanto é a mudança do discurso dos comunistas é que causa estranheza.

A justificativa oficial, de que o governo Alceu, aceitou incorporar itens do programa de Assis no seu plano de metas chega a ser ingênua. Os comunistas citam a implantação do BRT (leia mais sobre isso aqui), porém esse sistema não é exclusividade do programa do PCdoB, tanto que está sendo implantada em Porto Alegre, que é administrada pelo PDT, e também ela é de longa implementação, em Caxias, pelo grande investimento e pela mudança, drástica, que ela faz nas vias de circulação do BRT.

O PCdoB ganha, porém, uma secretaria de peso, que dialoga com uma área com muito dinheiro. É bom lembrar que a única política habitacional do município foi feita com recursos do Minha Casa Minha Vida (que o governo Sartori mudou de nome) e mesmo assim bem aquém da demanda.

A primeira coisa que deve acontecer, nesse momento, é que vários comunistas que teciam críticas ao governo Sartori, nas redes sociais, deverão ficar em silêncio sepucral. Agora é esperar o que vai acontecer numa cidade onde o governo pode aprovar qualquer projeto com extrema facilidade. O Polenta News estará atento para denunciar os projetos que forem contra o interesse da população, fora isso só nos resta torcer para que uma luz ilumine as mentes dos governantes municipais e que eles olhem para quem os elegeu.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Na falta do que fazer, Câmara de Vereadores tenta restringir acesso a internet

Vereador criou um AI5 Digital das colônias
Foto: Letícia Rossetti
Uma lei absurda foi aprovada essa semana na Câmara de Vereadore. Ela obriga as lan houses a fazerem, e manterem, por 60 dias, um cadastro de todos os usuários que utilizaram o serviço de acesso a internet. Pela lei, antes de chegar até o computador o cidadão deverá fornecer nome, data de nascimento, endereço, telefone e identidade. Além disso é necessário registrar os horários e o número do equipamento utilizado pela pessoa.

Ainda há uma censura etária. Usuários até 12 anos só poderão acessar internet, nas lan houses, acompanhados por um responsável. Quem tem de 12 a 16 anos precisa de uma autorização, por escrito, de um responsável, bem como quem for menor de 18 anos e quiser ir numa lan house após a meia noite.

O projeto de lei do vereador Edson da Rosa (PMDB) e aprovado por ampla maioria torna-se mais um movimento para restrição e controle do acesso a internet no Brasil. Como a Câmara não consegue legislar sobre a internet toda, os vereadores de Caxias do Sul deram um péssimo exemplo ao criar um cadastramento, que além de inóquo, traz no seu embrião o desejo de controlar a vida das pessoas.

Iniciativas semelhantes estão acontecendo em todo o mundo e rechaçadas por entidades de luta pelos direitos civís, pela liberdade de expressão e por diversos outros movimentos.

Na justificativa do projeto, Edson da Rosa, que demonstra não entender nada de internet, utiliza os mesmos argumentos usados pelo projeto de lei do Deputado Federal Eduardo Azeredo (PSDB/MG) que ficou conhecido como AI5 Digital. A justificativa de que tal atitude busca coibir a prática de pedofilia, racismo ou crime financeiro é totalmente infundada. Já há uma legislação que tipifica esses crimes do Brasil e, usuários que estão dispostos a praticar tais atos conhecem a internet, bem mais que o vereador proponente, para burlar sistemas de segurança de redes wi-fi ou de esconder seus rastros de navegação.

O resultado prático de tal ação é que ela atinge a população que não tem acesso a internet em casa, ou seja, as classes C e D. As lan houses, no Brasil, são verdadeiros locais de inclusão digital. É a única porta de entrada para a população, com menos recursos, acessar a rede. Os usuários que acessam internet de casa estão isentos de tais medidas. Para as empresas que fornecem o serviço ter um cadastro tão valioso na mão é extremamente positivo. Se há suspeita de venda de dados dos usuários de grandes portais como Facebook, Google, etc. imagina o que fará a lan house da esquina?

É extremamente lamentável que os vereadores caxienses ao invés de promoverem a universalização do acesso, a educação digital, a ética na rede, gastam tempo tentando restringir o acesso. É uma vergonha.

Veja abaixo como votou cada vereador.


ALAOR MICHELS DE OLIVEIRA PMDB Sim

ANA MARIA CORSO PT Sim

DANIEL ANTONIO GUERRA PSDB Sim

DENISE DA SILVA PESSÔA PT Sim

EDIO ELÓI FRIZZO PSB Sim (substituia Geni Peteffi)

EDSON DA ROSA PMDB Sim

FELIPE GREMELMAIER PMDB Sim

FRANCISCO DE ASSIS SPIANDORELLO PSDB Sim

GUIOVANE MARIA PT Sim

GUSTAVO LUIS TOIGO PDT Sim

MARCOS ANTONIO DANELUZ PT Não Votou

MAURO PEREIRA PMDB Sim

PEDRO JUSTINO INCERTI PDT Sim

RENATO DE OLIVEIRA NUNES PRB Sim

RENATO JOSÉ FERREIRA DE OLIVEIRA PCdoB Presidente

RODRIGO MOREIRA BELTRÃO PT Não Votou

VINICIUS DE TOMASI RIBEIRO PDT Ausente

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Caxias tem o 34º PIB do Brasil

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, divulgou hoje um levantamento sobre a evolução do Produto Interno Bruto, PIB, de todos os municípios brasileiros. A base de dados é correspondente a 2010.

Caxias ocupa a 34ª entre todos os municípios brasileiros e a 3ª no Rio Grande do Sul. No nosso estado Porto Alegre e Canoas tem PIBs maiores. Pelos dados do IBGE o total das riquezas produzidas na nossa cidade foi de R$ 15.692.359.000,00.

O nosso PIB per capita, ou seja, a riqueza produzida por cada habitante de Caxias do Sul ficou em R$ 36.034,46.

Outro dado importante, que demonstra a imensa desigualdade econômica entre os municípios, é que os 100 municípios brasileiros com maior PIB representam 58,94% de toda a riqueza brasileira, cabendo aos outros 5.465 municípios os 42% restante.

O maior PIB é, obviamente, da cidade de São Paulo. Sozinha ela concentra 11,7% da riqueza nacional. Caxias é responsável por 0,42%.

O município "mais pobre" do Brasil é Santo Antonio dos Milagre/PI com 2058 habitantes tem um PIB de R$ 7.238.000,00. No Rio Grande do Sul o posto fica para Itati, próximo a Osório.


Movimento "Arena Não" realiza ato em Caxias do Sul

Começou a reação democrática contra o neofascismo. Um ato no final da tarde de segunda feira, em Caxias do Sul, do movimento "Arena Não" mostrou que existe um contraponto ao discurso conservador. Os manifestantes, a maioria jovens, realizaram um ato e uma caminhada pelas ruas centrais da cidade.

Com um público estimado de 100 pessoas não se pode chamar o movimento de pequeno pois ele representa as primeiras pessoas que foram as ruas dizer que: Não precisamos, nem podemos voltar ao passado de autoritarismo representado pela Arena.

A opinião do Polenta News é que o nome do partido pouco importa (veja aqui). Na verdade a escolha do nome foi puro marketing de quem precisava ganhar 15 minutos de fama. Fora isso o que causa preocupação a qualquer cidadão lúcido é o programa fascista apresentado pelos dirigentes do partido.

Não sabemos se o partido conseguirá as assinaturas suficientes para o seu registro definitivo. Se conseguir, além de tudo de ruim que representa, poderá colocar a mão em uma parcela do Fundo Partidário, que não é pequeno. O 30º partido registrado no Brasil, e por consequência o que recebeu menos recursos, o PEN (Partido Ecológico Nacional), recebeu R$ 282 mil. Imagina esse valor todo na mão da Cibele e sua turma?

Só para lembrar. Se fosse no tempo da antiga Arena, essa história de fundar partido ia parar no porão do DOPS.

Esgoto Eleitoreiro

Nos bastidores há bastante tempo já se comenta que as Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) do Tega e Samuara, recém inauguradas, não estão em pleno funcionamento. As duas ETEs foram inauguradas pelo Prefeito Sartori sem estarem prontas.

Um dos motes da Campanha de Alceu Barbosa Velho (PDT) como sucessor de Sartori foi o anúncio de que Caxias finalizaria o ano com 86% do esgoto tratado. Isso não vai acontecer segundo informações do próprio Samae, que afirma que o esgoto tratado na cidade vai ficar em torno de 58%.

Atenta a essa realidade, a vereadora Ana Corso (PT) apresentou pedido de informações sobre os percentuais reais de tratamento de esgoto e a situação de ETEs mais antigas.O pedido foi negado pela base situacionista com vistas a acobertar uma bela "inverdade" eleitoral, já que o milagre dos 86% anunciados não existe.

Barrar pedidos de informações para proteger o Governo, aliás já é uma prática bastante usada pela base situacionista:  Base governista de Sartori nega pedido de informações sobre ilegalidade no Marrecas.

Segundo um técnico do Samae que contatou o Polenta News, mesmo que todas as ETEs já construídas operem 100%, não se alcançará tão cedo esse percentual de 86% de esgoto tratado. Há muitas verdades escondidas por trás desta límpida água.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

A sujeira nossa de cada dia

Primeira foto que circulou as redes
Uma foto do Parque dos Macaquinhos, na manhã da segunda feira ganhou destaque nas redes sociais e nos meios de comunicação. O parque estava completamente tomado pelo lixo. A sujeira era tanta que horas depois foi possível fazerem fotos novas antes da Codeca terminar o trabalho de limpeza.

Tamanho entulho (nas fotos de quem fez a primeira postagem no facebook) foi gerado pelas milhares de pessoas que participaram da festa da fim de ano da Rádio Viva e que foi incluída na programação do "Brilha, Caxias", coordenado pela Prefeitura de Caxias do Sul.

Nos mais diversos comentário, tanto no facebook, quanto na mídia, se ressaltou muito a "porquice da população", o "tigredo" que foi na festa, a "falta de educação do caxiense", e por aí vai uma série de adjetivos entre os mais leves aos mais pesados, alguns preconceituosos outro xenófobos que chegaram a dizer que "essas pessoas deviam ir embora de Caxias".

Achamos que as pessoas que participaram do show e jogaram papel, plástico e sabe lá o que no chão tem responsabilidade. Também achamos que falta educação ambiental para evitar isso. Também faltou lixeiras. Contudo também achamos que os promotores do evento tem responsabilidade.

A Rádio Viva, uma empresa privada, que realizou uma atividade em área pública, com apoio do poder público e que reverte em propaganda e, consequentemente, aumento nos lucros da empresa. Ela não deveria ser responsável por realizar, pelo menos, a limpeza do local?

O poder público, ao ceder um espaço que é coletivo, deveria exigir que ele retornasse, no mínimo na mesma condição incial, ou seja, limpo. A promotora do show provavelmente contratou segurança particular, nem que seja para os artistas, não poderia ter contratado equipe de limpeza.

A situação de sujeira seria muito pior se não houvesse dezenas de pessoas que cataram latinhas no local e amenizaram a imundice.

Descontar a responsabilidade na população é também uma atitude cômoda. Se uma casa noturna é responsável pelo silêncio ao redor de seu estabelecimento, o promotor de um espetáculo também não deveria ser responsável pelo entorno?

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Pragmatismo político levará o PCdoB para a situação?


Uma pergunta que será respondida nos próximos dias é se o PCdoB fará parte da base do governo Alceu Barbosa Velho (PDT). O convite para os comunistas teria sido feito, informalmente, por um interlocutor, que não foi revelado. Porém o que era informal acabou levando status de coisa séria já que a direção municipal do PCdoB discutiu, a sério, a questão.

A direção do PCdoB e o prefeito eleito devem reunir essa semana para discutir o assunto. Comenta-se que foi oferecido, aos comunistas, a Secretaria de Turismo, cargo ocupado estadualmente por Abigail Pereira (PCdoB). Porém o partido não confirma que houve a apresentação de uma proposta.

Na justificativa, oficial, o PCdoB diz que participaria do governo Alceu se tivesse um cargo onde pudesse colocar em prática suas propostas de campanha. Nessa caso, o Turismo, não encaixaria bem com esse argumento.

Para além dos argumentos oficiais o que surge por trás dessa guinada, a direita, dos comunistas é a sobrevivência política de seu deputado federal, Assis Melo. Assis foi o único candidato que perdeu votos entre o começo e o fim da campanha. Assis tinha 23% das intenções de votos em julho, mas acabou com apenas 10% em 7 de outubro. Alceu cresceu, Daneluz cresceu, Corlatti e Possamai ficaram iguais, só Assis caiu. Apesar da grande exposição na TV o partido deve estar fazendo as contas da possibilidade de reeleição. Cabe lembrar que Assis dependeu das imensas votações de Manuela D'Avila (PCdoB) e de Beto Albuquerque (PSB) para conquistar a cadeira federal.

Participar da situação daria base de atuação para aumentar a penetração do partido na cidade e assim diminuir a dependência dos puxadores de voto.

Entretanto a mudança da oposição para a situação terá um preço. O maior deles é admitir que o programa de governo era um faz de conta. Que pouco importava o que se dizia na campanha já que, passada as eleições, tudo é a mesma coisa. Será que as pessoas aceitarão esse pragmatísmo todo?

A segunda questão é seu colega da chapa, o PPS, que rachou com a base governista e foi para o lado de Assis para não deixá-lo sozinho na disputa. O PPS pagou um alto preço por isso. Foi excluído do governo, perdeu filiados que não quiseram abrir mão dos cargos e agora estão prestes a ser deixados na mão. Como não tem votação para barganhar devem ficar de fora da negociação dos CCs 8.

Resta saber se a conta da barbanha, como diz o prefeito Alceu, "vai ser bom para ambas as partes".

Se os partidos se acertarem, a cidade, e os eleitores, que se lixem.

Alceu vai nomear esposa como CC e ninguém fala em nepotismo

Um dos nomes cotados para fazer parte do primeiro escalão do governo Alceu Barbosa Velho (PDT) é da sua esposa, Alexandra Baldiserotto. Alexandra é jornalista e irá, pelo menos é o que afirma o editor chefe do Pioneiro Roberto Nielsen no Pioneiro de hoje, coordenar a comunicação da prefeitura.

Coordenação de comunicação é um cargo de confiança. E, incrível, ninguém fala que nomear a esposa do prefeito é nepotismo. Por que será?

Bom algumas pessoas dirão, Roberto Nielsen disse também: "a maioria das primeiras-damas do país opta por cuidar das ações sociais, Alexandra Baldisserotto terá um papel diferente, mais profissional."

Então existe um nepotismo tolerável?
  
O STF se pronunciou sobre o assunto. Uma súmula vinculante (que teria efeito nas decisões das instâncias inferiores) diz: 
 "A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica, investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança, ou, ainda, de função gratificada na Administração Pública direta e indireta, em qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição Federal." 
 Apesar de alguns juristas entenderem que essa interpretação vale apenas para os cargos administrativos e não para os cargos políticos. É evidente que se não é ilegal, no mínimo é imoral. Nosso entendimento é, ao contrário. Entendemos que o anseio da sociedade na aprovação de leis anti-nepotismo era justamente evitar que o Executivo, Legislativo e Judiciário virassem os quintais dos governantes de plantão empregando todo um séquito de parentes.

Essa visão também é compartilhada pelo paranaense João José Leal, professor e ex-procurador-geral de Justiça. Ele escreve em um artigo publicado em 2008 (leia aqui):

É profundamente lamentável que o STF tenha admitido essa perigosa exceção. Ficou assim: para a maioria dos cargos comissionados, a nomeação de parentes próximos estaá proibida por ofender os princípios da moralidade e da impessoalidade; no entanto, para os chamados cargos políticos, a nomeação de parentes é lícita e não ofende a esses dois princípios constitucionais tão importantes para a uma melhor condução da administração pública. Creio que a ação nepótica, em qualquer situação apresentada, tem a mesma natureza anti-ética e nociva.

As regras tem que ser claras e atingir os cidadãos por igual. Se a sociedade acha correto que não se deva nomear parentes, sem concurso, não se pode relativizar imaginando se a pessoa é mais ou menos competente. Isso não está em discussão aqui.

Nosso futuro prefeito poderia, então, se inspirar no ex-presidente Lula, que pelo Decreto 7.203 de 4 de junho de 2010, veda o nepotismo no âmbito da administração pública federal. 

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Oscar Niemeyer é homenageado pelo mundo, mas chamado de ‘idiota’ pela Veja

O mundo se rende a genialidade de Oscar Niemeyer enquanto o blogueiro e jornalista da revista Veja, Reinaldo Azevedo, publica que ele era “meio idiota”

  Publicado originalmente em Pragmatismo Político

“O universo curvo de um revolucionário”, publicou o diário Gramna, de Cuba. No espanhol El País, “Morre Niemeyer, o poeta das curvas”. O britânico The Guardian expôs a trajetória do arquiteto brasileiro em reportagem especial, destacando que sua exploração das formas livres foi maior até que a de seu mestre, o suíço Le Corbusier.

O francês “Le Monde” descreve Oscar Niemeyer como um dos pais da arquitetura moderna, que construiu, entre tantas grandes obras, a sede do Partido Comunista francês, na place du Colonel Fabien, em Paris.

O obituário do “New York Times” afirma que Niemeyer capturou a atenção de gerações de arquitetos. ‘Suas formas curváceas, líricas, hedonistas ajudaram a dar forma a uma arquitetura nacional distinta e a uma moderna identidade para o Brasil, que quebrou com seu passado colonial e barroco’, diz o texto.

O jornal argentino “Clarín” afirma que Niemeyer foi ‘um homem que sempre se deixou levar por suas ideias e suas convicções, um criador que havia tempo já tinha assegurado seu lugar no mítico panteão dos maiores arquitetos da história da humanidade.

Outros veículos de comunicação de notoriedade global como a Rede CNN, a BBC e a Al Jazeera renderam homenagens ao homem que desenhou brasília.

A única grosseria contra Niemeyer partiu de um órgão de imprensa do Brasil. O saudoso arquiteto foi chamado de ‘meio idiota’ por Reinaldo Azevedo, jornalista de Veja, em razão de seus posicionamentos políticos. O blogueiro de Veja não conseguiu controlar sua paixão mesquinha nem mesmo no momento da perda de uma figura singular na história do Brasil, revelando intransigência e, por conseguinte, ele sim, ser o verdadeiro idiota.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Cúmplices da Impunidade. E da pizza.

A sessão dessa quarta-feira foi marcada pela exteriorização daquilo que revolta o povo brasileiro quando se fala em política. Como previu o Polenta News, o caso Pedro Incerti acabou em pizza.

Estava na pauta a votação da punição (suspensão de 60 dias) do vereador Pedro Incerti (PDT) por ter agredido verbal e fisicamente o vereador Rodrigo Beltrão (PT) em maio deste ano. A agressão ocorreu porque Incerti alterou o parecer da Comissão Processante que julgava Harty Paese (PDT) e Beltrão, como Presidente da Comissão, não permitiu e refez o relatório, de acordo com a decisão do grupo. A suspensão de 60 dias foi apontada pelo parecer da Comissão de Ética da Câmara, que comprovou o ocorrido.

A agressão foi notória e testemunhada por diversas pessoas, configurando claramente quebra de decoro parlamentar. O vereador Beltrão foi agredido em sua integridade física e moral. Porém, o pior de tudo é constatar que os vereadores situacionistas votaram contra a punição de Inceti ao votar pela ilegalidade do parecer da Comissão de Ética da casa, que opinou pela suspensão do vereador. Ou seja, o vereador pedetista sai totalmente ileso de um vergonhoso caso de agressão a outro vereador.

As palavras do vereador Gustavo Toigo (PDT) caracterizam o absurdo da decisão tomada ontem pela base do Prefeito Sartori (PDT) e do Prefeito eleito Alceu Barbosa Velho (PDT): De acordo com Toigo, Incerti não teria transgredido o Código de Ética do Legislativo caxiense. Acrescentou que a pena só faria sentido se o pedetista houvesse reiterado o seu ato perante a Beltrão.

Não restam dúvidas do que aconteceu e isso ninguém negou. O que os vereadores negaram foi a justiça e a ética. Chancelaram o sentimento de impunidade que paira nesse país, principalmente quando os ilícitos provêm da elite. Pois bem, grave o nome dos cúmplices-pizzaiolos dessa impunidade:

ALAOR DE OLIVEIRA (PMDB)
EDIO ELÓI FRIZZO (PSB)
EDSON DA ROSA (PMDB)
FELIPE GREMELMAIER (PMDB)
FRANCISCO DE ASSIS SPIANDORELLO (PSDB)
GUSTAVO LUIS TOIGO (PDT)
MAURO PEREIRA (PMDB)
VINICIUS DE TOMASI RIBEIRO (PDT)


quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Falsificação grosseira publicada no site da Veja

Já faz muito tempo que a Veja não é um veículo confiável. Mas o que está sendo novidade, agora, é que ela está sendo pega no flagra, quase que diariamente. A mancada, ou seria sacanagem, da vez foi a publicação de uma foto onde apareceria o ex presidente Lula abraçado com Rosemary Noronha e Dona Marisa e ilustrava uma "reportagem" ou seria reporcagem sobre o "Caso Rose". 

Acontece que a foto era montagem. O rosto de Rosemary foi colocado sobre o rosto de Eliane Reis e o Neguinho da Beija Flor, que fazia parte da foto foi removido. A foto original é essa publica abaixo.

Foto: Ricardo Stuckert / Presidência da República

Esse caso escandaloso de difamação demonstra mais uma vez o desespero do PIG (Partido da Imprensa Golpista) em tentar atingir o presidente Lula a qualquer preço e sem o mínimo de ética. Acontece, que agora, há mais pessoas atentas e que não precisam, felizmente, ler a Veja para se informar e a mentira foi descoberta em menos de 24 horas.

Ricardo Setti, o "jornalista" que publicou essa bobagem foi obrigado a se retratar, porém já fez outros posts, bem rapidinho para que o assunto seja logo esquecido. Acontece que essa não é a primeira vez que ele é obrigado a se retratar por publicar mentiras.

Em 2011 ele fez uma reportagem "bombástica" falando de uma passageira clandestina no avião presidencial que levava a presidenta Dilma de Brasília a Natal. Na época ele chegou a pedir demissão, olha a petulância, do coronel responsável pela segurança da presidenta. Depois foi obrigado a se retratar já que não havia nenhuma passageira clandestina.

Se esse é o nível dos colunistas imagina o nível das denúncias?

Veja abaixo a vergonhosa retratação desse "jornalista", como se alguém acreditasse na boa intenção da figura.

Amigas e amigos do blog, não tenho compromisso com o erro, e nem medo de pedir desculpas.

Então, queria dizer que a suposta foto que até há alguns minutos ilustrava o post sobre o “Caso Rose” que publiquei hoje, mostrando Lula supostamente abraçado a Rosemary Noronha, de um lado, e a dona Marisa Letícia, de outro, é na verdade uma montagem.

Foi feita a partir de foto do Carnaval de 2009, no Sambódromo. Na foto, realmente Lula abraça dona Marisa e outra mulher, na verdade a esposa do cantor Neguinho da Beija-Flor, Eliane Reis. Neguinho aparece na foto original, abraçado a Lula e a dona Marisa, mas foi eliminado na montagem.

Ato “Arena Não” acontece em Caxias do Sul na segunda-feira

 
Data foi escolhida por ser o Dia Internacional dos Direitos Humanos

O Movimento “Arena Não¨ convoca os cidadãos de Caxias do Sul para ato público de repúdio a refundação do ARENA. O evento acontece na próxima segunda feira, dia 10 de dezembro, às 18:00, na praça Dante Alighieri, em Caxias do Sul.

O ato consiste numa manifestação pacífica, e estarão presentes diversas organizações, bem como pessoas sem nenhum tipo de filiação e vínculo partidário.

A data, 10 de dezembro, foi escolhida por ser o Dia Internacional dos Direitos Humanos - Adotado pela Assembleia Geral da ONU. Todos nós sabemos o que o partido ARENA representou para o Brasil no que se refere à violação dos direitos humanos, com a prisão arbitrária, exílio, tortura, morte e desaparecimento de diversas pessoas da sociedade.

O Polenta News apoia essa campanha. Não por ser a Arena, o nome pouco importa. O que não toleramos é o fundamentalismo de direita que ataca, frontalmente, os direitos fundamentais dos cidadãos.