quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Alceu ganha perfil satírico na internet

"Prefeitão perfeitão da Província de Caxias do Sul. Laço, pealo e gineteio. Sou uma sátira (sei o que é pq sou adEvogado). Ouvidoria: alceudisporzinho@gmail.com"

É assim que o perfil de Alceu Dispor Barbosa (@AIceu_Barbosa - o "I" se parece com um "ele" no Twitter) se apresenta. Criado em 31 de outubro o perfil faz uma sátira ao atual prefeito. A ideia segue o mesmo conceito que originou o perfil "Dilma Bolada", no Facebook. O @AIceu_Barbosa tem como bordão #PrefeitãoPerfeitão e faz comentários bem humorados do dia a dia da prefeitura e dos gostos do atual prefeito. Perfis como esse demonstram que é possível fazer humor, e crítica política, sem ser desrespetisos.

Veja abaixo alguns tweets do #PrefeitãoPerfeitão





O Polenta News também mereceu uma postagem
 

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Negociação entre prefeitura e sindicato médico é mantida em sigilo

Em dezembro de 2011 a greve de 9 meses foi interrompida
para evitar maiores prejuizos eleitorais
Passados 1058 dias do movimento grevista dos médicos servidores públicas da prefeitura de Caxias do Sul, o Sindicato Médico e o prefeito fizeram mais uma rodada de conversas, no dia de ontem, dessa vez com uma proposta concreta. Depois de uma longa greve da categoria, houve uma trégua, em novembro de 2011, para não atrapalhar as eleições para prefeito.

Diferente do governo Sartori que não se reuniu com o sindicato da categoria, Alceu Barbosa (PDT) tomou uma atitude diferente. Reune, mas fica em silêncio sobre o resultado. Estão em jogo um reajuste próximo aos 60%, a retirada da ação na justiça que questiona a legitimidade do Sindicato Médico em negociar pela categoria e a não exigência de cumprimento de horário por parte do profissional.

Escanteado dessa discussão está o Sindicato dos Servidores Municipais, Sindiserv, que obteve na justiça a confirmação de que ele é o representante de toda a categoria, inclusive os médicos, junto ao poder público. Caso participasse da discussão o sindicato exigiria, o que é justo, isonomia para todas as outras categorias com curso superior que existem no município. Portanto se os médicos recebessem 60% de reajuste, Enfermeiros, Psicólogos, Advogados, Assistentes Sociais, Nutricionistas, Dentistas, entre outros teriam direito ao mesmo reajuste.

Além disso há a ausência de plano de carreira para o funcionalismo caxiense o que abre margem para existirem essas aberrações.

A negociação com o sindicato médico é importante. O que é lamentável é fazer isso sem transparência. A população tem que saber o que está sendo discutido e o restante dos servidores públicos também. Não se pode criar duas categorias de servidores. Uma com privilégios de reajustes diferenciados e que não precisam cumprir horário e a outra.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Democrarcia da porta pra fora

Os últimos 8 anos foram marcados por poucas mudanças estruturais no governo municipal. Com a
reeleição de Sartori (PMDB), a logística e estruturação das secretarias permaneceu praticamente a
mesma. Porém, desta vez, mesmo que o Prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT) venha de um projeto
de reeleição, a história não se repetiu.

Em algumas secretarias municipais há um certo rebuliço. Secretários e secretárias novas estão
chegando e fazendo a revolução. As mudanças, na maioria das vezes, vêm bem, pois faz com
que alguns vícios do serviço público se dissipem e novas formas de trabalhar podem trazer maior
eficiência à máquina administrativa.

O problema é quando as mudanças são feitas para se atingir um único objetivo: mostrar trabalho.
Aí, a democracia e a transparência, que os políticos adoram pregar, ficam embaixo do tapete
no ambiente interno do governo. Muitos servidores e servidoras municipais têm sofrido com
as mudanças que vêm de cima para baixo sem diálogo e sem levar em conta a experiência e
conhecimento do funcionalismo que possui anos de casa.

Os CC's vão e voltam, mas os servidores ficam. E nessa hora é isso que importa. Doa a quem
doer. Há servidores que foram colocados à disposição sem um adeus, há aqueles que tiveram suas
férias negadas e ainda os que tiveram de mudar seu trabalho diário seu titubear. Novos ares sempre
vêm bem, mas o ambiente de trabalho é tão importante quanto, pois é dali que as coisas nascem.
Democracia só da porta pra fora não dá!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Jerônimo Goergen (PP) entra em confronto com a bancada progressista

Atitude de deputado causa revolta no resto da bancada
Quatro deputados federais do PP/RS: Vilso Covatti, Afonso Hamm, José Otávio Germano e Luiz Carlos Heinze, encaminharam um documento ao presidente nacional da sigla, Francisco Dorneles, fazendo duras críticas as atitudes do seu colega de bancada Jerônimo Goergen.

Segundo o documento os deputados, Goergen estaria anunciando "de forma prematura e descabida" a liberação de recursos do PAC2. Ainda segundo o documento Goergen se vale de "tráfico de influência" junto ao Ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, também do PP.

Eles alertam ainda que não há definições sobre as obras que foram aprovadas para a liberação de recursos e que a atitude de Goergen "podem causar grandes transtornos ao Governo Federal, ao Ministério das Cidades, aos municípios e ao Partido Progressista".

Para encerrar os deputados progressistas afirmar que a atitude do colega seria até tipificado como crime, já que ele faz uso de informação privilegiada "para obter favores ou benefícios", segundo descreve o documento.

Goergen andou divulgando para os veículos de comunicação de Caxias do Sul, no começo de fevereiro, que Caxias receberá R$ 100 milhões em obras. Esse alerta, da bancada progressista, é importante pois todo mundo comprou essa história como fato. E se o dinheiro não vier? De quem é a responsabilidade? Do governo Federal ou do Deputado que tentou tirar uma casquinha eleitoral com o dinheiro alheio?

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Vereador é criticado e perde a compostura

Como rescaldo da votação que manteve os vetos do prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT) as mudanças na lei, propostas pela vereadora Denise Pessôa (PT) (leia aqui), sobraram críticas, na internet, para alguns vereadores, em especial para o vereador Rafael Bueno (PCdoB).

Por ser justamente um vereador jovem, que fez muita campanha entre os estudantes e ter sido do movimento estudantil, o principal alvo das críticas foi ao vereador comunista. Numa pesquisa rápida pelo Facebook encontramos várias postagem que citam o vereador, a maioria delas, com dezenas de comentários, todos contrário a sua atitude, e com dezenas de curtirs e compartilhamentos.

Em nenhum deles ele responde (apenas o vereador Jaison Barbosa/PDT comenta um deles), mas foi num onde seu nome não foi citado que ele perdeu a compostura. O jornalista Alberto Meneguzzi comentou que achava estranho que partidos que até outubro estavam na oposição, agora estavam no governo e que vereadores que se elegeram com o voto da juventude votassem contra os estudantes. Talvez por Meneguzzi ter uma influência pública maior foi nesse que ele respondeu e foi aí que perdeu a linha.

Ele escreveu: "Porque a lei já existe. Ou não? Já fui no Cristo Redentor/RJ, Ilha de Itamaracá projeto do Peixe boi, cinema, futebol, teatro e até na Maria Fumaça com minha carteira de estudante. O que querem fazer é demagogia. A lei existe em nível municipal desde 93, estadual 98... O que queriam fazer aqui em Caxias é pura politicagem e aparecerem de donos. Mas falcatruagem e demagogia não é comigo."

A partir daí mistura aumento de mensalidades da UCS, com Piso Nacional para os professores, fator previdenciário e mensalão, recheado de palavras que você não deveria deixar a sua avó ler, como diria o Paulo Henrique Amorim.

O vereador demonstra uma total falta de decoro, componente essencial para quem quer ser personalidade pública. E essa não é a primeira vez. Na terça feira, dia 18, ele criticou uma decisão do juiz Leoberto Narciso Brancher que indeferiu o pedido para as despesas médicas do menino Jackson Rafael Ferreira Bottim, ele disparou: “Que bom que não é com o seu filho”. Após a sessão os vereadores Edson da Rosa (PMDB) que é presidente da Câmara e Gustavo Toigo (PDT) líder do governo, chamara ele de canto e aconselharam que ele deveria maneirar no tom das crítícas. Ao que tudo indica o conselho não foi assimilado. 

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Sobre Yoani, sofismas e a liberdade de expressão

Diogo Costa é caxiense, acadêmico de Direito. Publicado originalmente no blog do Luis Nassif

1- Os meninos que fizeram protestos contra Yoani eram militantes da UJS, ligada ao PC do B. Yoani não é e nunca foi "a principal voz de oposição" em Cuba, é apenas a mais conhecida fora daquele país e é sim financiada por organizações internacionais que pretendem mudar o regime estabelecido na ilha caribenha.

2- Com todo o respeito, mas isso é um sofisma... Yoani Sánchez não estava impedida de sair de Cuba por ser uma blogueira que criticava o governo de Raul Castro! A lei cubana (da qual podemos concordar ou discordar) não permitia que nenhum cidadão cubano deixasse o país sem autorização prévia das autoridades governamentais. A partir de 14 de janeiro de 2013, com a reforma na lei migratória, os cidadãos cubanos estão autorizados a viajar para qualquer lugar do mundo sem autorização prévia das autoridades. Logo, Yoani sofria as mesmas restrições de todos os cidadãos cubanos antes de janeiro de 2013, e, agora, tem toda a liberdade de viajar facultada aos cidadãos cubanos a partir da reforma já citada.

3- Existem centenas, milhares de blogueiros em Cuba. Yoani é sim apenas mais uma. E existe também a liberdade de crítica (principalmente a partir do governo de Raul Castro). O que os cubanos contestam é o fato de Yoani ser financiada por entidades internacionais para desestabilizar as instituições cubanas. Não há nada que os cubanos prezem mais do que a independência e a soberania de seu país e é justamente por isso que identificam Yoani como uma mercenária que não pretende criticar o governo, mas destruí-lo a serviço de potências estrangeiras. É a mesma situação que ocorreu no Brasil com o IBAD na década de 60. Em 1962, o IBAD financiou as campanhas de centenas de opositores do governo João Goulart, com dinheiro de empresas estrangeiras, notadamente dos EUA. Isso foi alvo de uma CPI em 1963 e, por ordem judicial e em consequência dos desdobramentos da CPI, o IBAD foi fechado definitivamente em dezembro do mesmo ano.

4- De novo, o sofisma! É uma rotunda mentira dizer que Yoani não podia sair de Cuba porque ela, Yoani, era uma blogueira crítica ao governo. Isto não é verdade! A lei cubana exigia para TODOS os cidadãos uma autorização prévia para viajar. Houve uma reforma migratória, aprovada por Raul Castro, e que entrou em vigor em 14 de janeiro de 2013. Hoje, os cidadãos de Cuba que quiserem podem viajar à vontade, sem pedir nenhum tipo de autorização governamental. A "solidariedade" é apenas para Yoani, porque convém aos seus financiadores internacionais? O fato é que Yoani não saia antes de Cuba porque a lei dizia que as autoridades podiam permitir ou não a sua saída (podemos concordar ou discordar...), e, hoje, ela pode viajar pelo mundo porque a lei cubana permite que os cidadãos daquele país viajem sem nenhuma restrição! Porque acham que ela veio ao Brasil? Quantos cidadãos brasileiros possuem recursos para fazer um "tour" pelo mundo, como Yoani está fazendo agora? Porque criticam Cuba ao invés de aplaudir a reforma migratória de Raul Castro?

5- E onde está o problema das pessoas se manifestarem contra Yoani Sánchez, contra o Papa Bento XVI, contra Lula, FHC, Reinaldo Azevedo, Obama, Jair Bolsonaro ou Roberto Freire? As manifestações a favor ou contra uma pessoa ou uma causa são perfeitamente normais e legítimas! O próprio texto de Cynara relata que Yoani se manifestou, se pronunciou, respondeu aos questionamentos que lhe foram feitos, etc... Ou seja, NÃO HOUVE nenhum tipo de censura contra a blogueira, muito antes pelo contrário! Sobre quem se saiu bem desse episódio, isto é uma avaliação política que todos tem o direito de fazer. O que não é possível é dizer que Yoani não pode se manifestar, porque isso não corresponde à realidade.

6- Protesto desrespeitoso e intolerante? Enfim, é uma avaliação pessoal. Eu vejo todo e qualquer protesto como legítimo. Estamos a falar da forma e não do conteúdo dos protestos! Isso não ajuda em nada no debate sobre esta questão. Repito, onde está o problema de pessoas se manifestarem contra quem quer que seja? Se ultrapassarem os limites legais, responderão pelos seus atos, isso no Brasil ou em qualquer lugar do mundo.

7- Acredito que a UJS deu uma dimensão exagerada à Yoani Sánchez. Ela não tem 1/50.000 avos dessa importância que lhe atribuíram, por exemplo, em Cuba. Os generosos espaços que a blogueira tem na imprensa cartelizada do Brasil, os teria de qualquer jeito, com ou sem protestos. Aos que se dizem de esquerda, cabe fazer a crítica da crítica, demonstrando que a 'esquerda' não é esse bloco único que a "grande mídia" tenta vender aos incautos. Aliás, desafio a qualquer cidadão do Brasil que mostre um único documento do PT (maior partido de esquerda do país) onde este partido defenda um regime de partido único ou um regime onde não haja pluralidade de informações e pleno respeito à liberdade de expressão! Podem procurar a vontade e não encontrarão nenhum documento neste sentido, desde 10 de fevereiro de 1980, justamente porque o PT surgiu da crítica às experiências do 'socialismo real'.

8- Yoani ataca Cuba porque tem críticas ao regime, o que é perfeitamente normal. O que não é normal é pensar que ela não é financiada por entidades internacionais, algo que é de conhecimento até do mundo mineral. Por fim, lamento que se façam críticas única e exclusivamente ao regime cubano, sem fazer as devidas críticas ao criminoso bloqueio econômico do qual o país é alvo há mais de 50 anos. E lamento que se façam críticas ao regime cubano sem falar uma vírgula sequer da masmorra de Guantánamo, usurpação territorial imposta pelos EUA desde antes da Revolução de 1959. Criticar Cuba é fácil, difícil é fazer a crítica dos Direitos Humanos que europeus e norte-americanos aplicam em outros países, difícil é fazer a crítica contra o Golias que oprime uma nação inteira e mirar apenas no Davi que resiste e busca, dia a dia, garantir o básico direito de manter sua soberania e auto-determinação.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Câmara mantem veto de Alceu que dificulta aplicação da lei da meia entrada para estudante

Foto: Gabriel Lain
A sessão de ontem da Câmara de Vereadores manteve os vetos parciais ao projeto de lei da vereadora Denise Pessoa (PT) que modificava a lei da meia entrada para estudantes em Caxias do Sul. Os vetos do prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT). Os vetos impedem que estudantes tenham direito a meia entrada nos preços promocionais, que não haja uma limitação no número de ingressos com meia entrada e que a multa, por não cumprimento fique nos valores atuais (entre R$ 230,00 e R$ 460,00).

Os vetos praticamente garantem que não existirá meia entrada em Caxias do Sul pois o produtor cultural pode simplesmente dizer que os ingressos são promocionais ou que já foram vendidos todos os de meia entrada, sendo que não haverá como fiscalizar.

O tema ganhou destaque essa semana quando o DCE/UCS, após ameaçar ir para a justiça contra a Morphine, que produz o show do Barão Vermelho, em Caxias, conseguiu que a empresa vendesse ingressos com meia entrada. O veto de Alceu foi anterior ao dessa semana, mas não quer dizer que ele não o fez por pressão dos grandes produtores culturais de Caxias do Sul acostumados a trazerem megas shows de pagode e sertanejo.

A Morphine, inclusive, é a empresa que contrata os shows da Festa da Uva. Ela ganha grandes comissões pelo ser serviço além dos valores pagos pela produção em sí. A legislação da meia entrada não penaliza, apesar dos empresários do setor dizerem isso, o produtor cultural. As shows de grande porte perdem receita, mas também eles contam com grande público e grandes verbas publicitárias, o que eles perdem, na verdade é lucro. Para os pequenos espetáculos a meia entrada garante público, que muito provavelmente não iria no espetáculo se pagasse o preço normal.

Blocão do Governo rachou mas garantiu a vontade de Alceu

Dessa vez o Blocão do Governo não votou unido. As dissidências se deram pelos vereadores Neri (DEM) e Virgilli Costa (PDT). Coube ao pedetista relembrar o programa histórico do PDT na causa da educação e que cultura e educação andam juntas. Por esse motivo, Virgilli disse que votaria contra os vetos.

Decepção, ou fato já esperado, coube ao vereador Rafael Bueno (PCdoB), que se elegeu com um discurso de juventude, foi do Diretório Acadêmico de História e votou contra a meia entrada para estudante. Uma enorme contradição.

O DCE/UCS esteve presente mas não conseguiu sensibilizar os vereadores que mantiveram os votos por 14 a 7. Abaixo veja como votou cada vereador. Para entender a votação: votar SIM significava ser A FAVOR dos vetos.

ARLINDO BANDEIRA PP Sim

CLAIR DE LIMA GIRARDI PT Não

DANIEL ANTONIO GUERRA PSDB Não

DENISE DA SILVA PESSÔA PT Não

EDI CARLOS PSB Sim

EDSON DA ROSA PMDB Presidente (só vota em caso de empate)

FELIPE GREMELMAIER PMDB Sim

FLÁVIO GUIDO CASSINA PTB Sim

FLÁVIO SOARES DIAS PTB Sim

GUILHERME GUILA SEBBEN PP Sim

GUSTAVO LUIS TOIGO PDT Sim

HENRIQUE SILVA PCdoB Sim

JAISON BARBOSA PDT Sim

JOÃO CARLOS VIRGILI COSTA PDT Não

JÓ ARSE PDT Sim

MAURO PEREIRA PMDB Sim

NERI ANDRADE PEREIRA JUNIOR DEM Não

PEDRO JUSTINO INCERTI PDT Sim

RAFAEL BUENO PCdoB Sim

RAIMUNDO BAMPI PSB Sim

RENATO DE OLIVEIRA NUNES PRB Não

RODRIGO MOREIRA BELTRÃO PT Não

ZORAIDO DA SILVA PTB Sim

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Direito a pergunta: O secretário Washington faltou ao trabalho para ir ao jogo do Grêmio e Fluminense?

Quem pagou suas despesas no Rio?
Ontem fomos surpreendidos ao vermos o secretário municipal de esporte e lazer, Washington Stecanela Cerqueira (PDT), no camarote da Globo, durante o jogo Grêmio e Fluminense válido pela Copa Libertadores da América, no Rio de Janeiro.

Ficam as perguntas:

1 - O secretário Washington tinha alguma missão oficial da prefeitura na cidade do Rio de Janeiro?

2 - Se não estava em atividade oficial ele foi por motivos particulares, ou de boas relações com a Rede Globo. Nesse caso ele saiu antes do trabalho, e não chegará no horário hoje de manhã, na prefeitura para ir até o Rio de Janeiro assistir o jogo?

3 - Quem pagará as despesas? Ele cobrará diária? Cobrará passagem aérea?

Secretários municipais recebem verba de representação justamente para serem secretários em tempo integral. Ao que parece o secretário Washington está mais interessado em manter suas atividades particulares do que administrar a sua pasta. Numa procura que fizemos no site da prefeitura não há nenhuma menção de agenda na cidade do Rio de Janeiro (a não ser que "surja" uma agora).

Ele pode argumentar que sua renda pessoal, seus negócios derivados da sua carreira de jogador, lhe deêm uma qualidade de vida que dispense o salário de secretário. Porém isso só demonstra que a sua entrada na política não tinha nada a ver com o bem comum e sim com a manutenção do ego que necessita de aplausos permantes, não conseguidos mais dentro das quatro linhas.

Seria bom sabermos as respostas dessas perguntas já que Washington é pago com o dinheiro dos contribuintes.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Dois pesos e duas medidas na "liberdade de imprensa" da RBS

O assunto do momento é a blogueira cubana Yoani Sánchez. Nem vamos levar muito em conta a importância dela pois, francamente, sua falsa história de perseguida política já foi desmascarada a muito tempo e apenas os leitores da Veja acham sério. O Polenta News já publicou uma matéria, há um ano atrás, desmistificando a aura de "lutadora da liberdade" que Yoani diz ter (leia aqui).

Não se deixe manipular
Yoani, na minha singela opinião, tem todo o direito de falar o que quiser, desde que não tente derrubar o governo, ou destruir as instituições. Se ela acha que existem problemas em Cuba deve falar, escrever, reclamar, como está fazendo, e como ela saiu de Cuba, viveu vários anos na Suiça e depois voltou para a sua terra natal, parece que não é tão perseguida assim.

Outro lado da história é a defesa, seletiva, da "liberdade de expressão" da mídia brasileira, em geral, e especial, no nosso caso da RBS. Um exemplo evidente desses dois pesos e duas medidas, foi o caso, em julho do ano passado, da passagem de Cesare Battisti por Caxias do Sul (veja aqui). A intolerância tresloucada, semelhante a que dizem que aconteceu com Yoani, chegou ao ponto de haver uma ameça de bomba na livraria que faria a sessão de autógrafos. Battisti veio para Caxias, deu uma curva na turma consevadora e até tomou um cervejinha no Copacabana. Mas alguém viu a RBS dizer, em editorial que isso era censura ou que feria a liberdade de expressão? Os veículos do grupo cobriram o fato como qualquer outro, sem dar muita repercursão.

Outro exemplo é a censura que a Folha de São Paulo pratica ao blog, de humor, "Falha de São Paulo". Hoje, por coincidência, o Tribunal de Justiça de São Paulo, manteve a decisão de tirar do ar o blog que fazia uma sátira ao jornal paulista. A Folha de São Paulo, como diz o Paulo Henrique Amorim, é um jornal que você não deve deixar sua avó ler pois eles publicam palavrão. Além disse criaram o termo "ditabranda" para tentar dizer que a ditadura não tinha matado tanta gente assim no Brasil. A Folha de São Paulo, junto com a Veja, Estadão e o Globo, completam os quatro cavaleiros do apocalipse que formam o PIG. Nesse caso alguém dirá que a Folha atentou contra a liberdade de expressão? Dificilmente.

Comunidade do Bairro Cohab pede socorro

Associação de moradores do bairro Cohab faz um pedido de socorro ao poder público: Solução para os inúmeros acidentes que estão acontecendo na Jacob Luchesi e Modesto Dias dos Santos.

Segundo a Amob já foi feito um protocolo, na prefeitura, pedindo providências, "infelizmente nosso pedido ainda não foi atendido", relata Manoela Scopel, integrante da Amob. A situação piorou muito depois do asfaltamento da Jacob Luchesi. A Amob está fazendo um chamamento para que  a comunidade se una para "pressionar as autoridades competentes para que a sinalização venha ocorrer o mais rápido possível, sem que precisamos perder vidas para que isso aconteça", finaliza.

Esse é mais um exemplo de obra feita sem o menor planejamento. Asfaltar rua dá voto! Colocar sinaleira, fazer a sinalização, ajeitar as calçadas que foram removidas para fazer a obra é secundário. Enquanto o poder público encarar obra pública como retoque, isso sempre acontecerá.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Prefeitura começará a eliminar os ratos na Praça Dante

ratinho se divertindo na Praça Dante Alighieri
Depois de mais de 4 meses que eles invadiram a Praça Dante, durante a Feira do Livro, (veja a matéria onde o Polenta News divulgou em primeira mão o fato), a prefeitura irá fazer uma operação para eliminar os roedores.

O trabalho começará na noite de hoje e o veneno, indicado para matar ratos, é colocado nas tocas. Segundo a Secretaria do Meio Ambiente os blocos contendo veneno serão colocados, nas tocas, de noite e retirado de manhã. Também serão recolhidos os animais mortos.

A escolha pelos blocos com veneno é para evitar que pombos, outros pássaros, e até animais de estimação,  sejam contaminados durante o trabalho.

Se você costuma passear pela Praça Dante, não deixe seu animal de estimação andar pelos canteiros, sempre há risco de contaminação.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Prefeitura de Canoas reduz 5 centavos da tarifa de ônibus urbanos

Enquanto, em Caxias do Sul, a passagem de ônibus subiu R$ 0.15, o prefeito de Canoas, Jairo Jorge (PT), assinou um decreto que reduziu o valor da tarifa de ônibus. Desde essa sexta-feira a passagem baixa de R$ 2,65 para R$ 2,60, uma redução de cinco centavos. O táxi lotação também baixou dos atuais R$ 3,15 para R$ 3,10.

O desconto é ainda maior se considerarmos que não haverá reajuste na tarifa esse ano. Os cálculos apontavam um reajuste em torno de dez centavos. Como o valor não reajustou, e ainda diminuiu, a população saiu lucrando quinze centavos por passagem.

Jairo Jorge informou que esta redução foi possível em razão da Lei Federal Nº 12.715, que desonera as folhas de pessoal de empresas de diversos setores, inclusive as de transporte. Para se chegar ao valor da nova tarifa foi feito o cálculo dos gastos da empresa, como combustível, manutenção e salário dos empregados, por exemplo. Esta avaliação é realizada anualmente e é acompanhada pela Prefeitura.

Isso nos remete ao valor da passagem de Caxias do Sul. Por aqui parece que não se considerou as ações do Governo Dilma em diminuir impostos. Canoas é compatível em quantidade de pessoas transportadas com Caxias, portanto não há justificativa para o aumento, como se vê, na nossa cidade.

Além da passagem de ônibus que subiu 5,5%. A taxa da água subiu 19,6%. A taxa de coleta de lixo aumentou 112% (nos locais que ganharam coleta celetiva). O IPTU subriu 6,2%. E por aí vai.

Do outro lado o governo Dilma, além de baixar impostos sobre a produção, reduziu em 18% a conta da energia elétrica, em Caxias vai reduzir em 22%. Por que o governo do PDT não tem feito a sua parte na redução das tarifas para a população?

Com informações de Sul 21 e Jornal Vale dos Sinos

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Pré-natal pra quem?


Passados alguns meses desde o fim da greve dos médicos, que na verdade acabou mas não terminou, aparentemente parece que os serviço de saúde na cidade vão muito bem.

E você? Precisou dos serviços do SUS nos últimos tempos? Pois o Polenta News recebeu denúncias que as filas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e também no Pronto Atendimento 24 horas (Postão), continuam enormes.

Um caso bastante grave repassado trata-se dos atendimentos de pré-natal. Uma leitora do Blog relata que está grávida e que, há mais de um mês foi até a UBS de seu bairro e solicitou exame de ecografia para acompanhamento da gravidez recente. Através do exame a usuária saberá sobre seu próprio estado de saúde e também do feto, sendo que poderá esclarecer o tempo de gravidez. Até o momento, ainda não recebeu a ligação dos responsáveis para marcar a data do exame e já foi avisada que o tempo de espera (após a ligação) é de no mínimo 2 meses.

Campanhas e mais campanhas incentivando que as novas mamães façam o acompanhamento neonatal durante toda a gravidez e o serviço de saúde no município não garante o serviço?

Um absurdo!

Imagina quando a greve dos médicos recomeçar...

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Moradores pagam muuuuuito caro por coleta mecanizada

Em 2012 a Taxa de coleta era de R$ 129,75

Ter coleta mecanizada, por containers, na sua rua pode ser um grande problema no orçamento, isso porque o valor da taxa de coleta de lixo pode aumentar em mais de 100%. É o que está acontecendo nos bairros que passaram a ser contemplados a partir de 2013.

Esse ano ela aumentou 112%
As imagens ao lado mostram um carnê de IPTU, enviado ao Polenta News, por um leitor. Em 2012, quando havia coleta manual o valor da taxa de coleta foi de R$ 129,75. Para esse ano, depois que a rua do nosso leitor, no Jardim América, passou a receber os containers o valor subiu para R$ 275,65, um reajuste de 112,44%.

As ruas com containers tem coleta 5 ou 6 vezes por semana. Essa é uma das justificativas da prefeitura o valor cobrado. A proporcionalidade de coletas até está correto. O que não é proporcional é o trabalho que é desempenhado. A coleta manual é bem mais trabalhosa e demorada que a coleta mecanizada. Na coleta manual, o coletor, recolhe na frente de cada casa. Faz isso correndo. Há risco de acidentes. São 4 pessoas por caminhão. Na coleta mecanizada só uma pessoa faz todo o trabalho e são os moradores que levam o lixo até os containers.

A prefeitura vendeu a coleta mecanizada como uma grande realização. Em parte ela é boa, entretanto ela não avisou que seria o cidadão que pagaria por esse "benefício". Está nitidamente faltando clareza e transparência na fixação dos valores das taxas de serviços públicos, na nossa cidade. Não é a primeira vez que os cidadãos são surpreendidos por valores de serviços que dobram de um ano para o outro.

Primeiro a prefeitura faz propaganda, depois o cidadão paga a conta. Até quando?

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Obra mal feita causa transtorno na Rua Pio XII

Atualizada em 15/02/2013 às 17h19

Desde que a rua Pio XII foi asfaltada, para fazer parte do novo binário da Moreira Cesar, alguns pontos foram "esquecidos" de serem finalizados. Um exemplo é esse boeiro registrado por Rafael Cândido em seu perfil no Facebook.

Ele conta que "existe um boeiro com uma tampa improvisada, que por muitas vezes não esta no local adequado, o que é de grande risco a pedestres e motoristas". Esse buraco leva a galeria de esgoto que tem mais de dois metros de profundidade.

Recetemente foi feito o recapeamento dessa mesma rua e o buraco continuou, mal fechado, recebendo todo o tipo de entulho. Nota-se, também, como está estreita a calçada no local, inclusive o piso está cedendo, deixando ainda mais perigoso transitar no local.

Nesse trecho, na última chuva mais forte, alagou completamente. Jader Rodegheri, que comentou a postagem do Rafael escreveu: " eu quase não consegui passar com o carro pq tava transbordando a agua dos boeiros".

O governo Sartori havia propagandeado que não aconteceriam mais alagamentos no Pio X. A vida mostrou uma história diferente, infelizmente. Como pode-se ver o estado da obra é fácil notar que não dá para jogar toda a culpa na população que coloca lixo na rua. O poder público tem muita responsabilidade, principalmente com obras inacabada como essa que acabam entupindo as galerias e bocas de lobo.

Buraco Fechado

No mesmo dia em que publicamos essa postagem a prefeitura providenciou o conserto do buraco. A foto postada também por Rafael mostra o conserto. Em seu comentário, junto a foto, ele desabafou:

"Tu ve como são as coisas, depois que um negocio cai na internet, algumas vezes acaba parando na midia, o poder publico acaba caindo na obrigação de resolver os problemas. Passarei, a paritr de agora, a fotografar e publicar estas obras mal feitas, para que sejam corrigidas."
Pois é Rafael não precisaria chegar na mídia para que providências fossem tomadas, mas alguns governos só funcionam sob pressão.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Perolas do Mauro (2)

Estamos achando que essa será a sessão do Polenta News que mais terá postagens. Na quinta feira passada, durante a votação de um requerimento da vereadora Denise Pessôa (PT), que solicitava informações sobre a regularidade das casas noturnas de Caxias do Sul, Mauro Pereira (PMDB) saiu-se com mais uma pérola, ou melhor duas numa frase.

Ele disse primeiro ao declarar voto contrário ao requerimento (foi o único voto contrário) que: 
"o tema está sendo tratado pela imprensa caxiense que averiguou as casas em conformidade com as normas técnicas."
Como assim?  É a imprensa que tem que averiguar o funcionamento das casas noturnas ou é os órgãos públicos? A averiguação, pela imprensa das normas técnicas, não resistiu a primeira inspeção de verdade que foi feita (leia mais aqui). O que Mauro Pereira quer esconder da população? As falhas gritantes na fiscalização? Os favorecimentos?

Logo em seguida ele soltou outra:
 "Na sua opinião, a prefeitura não teria como fornecer os dados solicitados."
A prefeitura não tem como fornecer as informações de quem tem alvará em dia?

Será que isso é o caso mesmo?

Que a prefeitura de Caxias do Sul não tem o menor controle sobre o que acontece no município?

Quem disse foi um vereador da base aliada. Então algo deve ter ai mesmo, ou é somente bobagens faladas ao vento?

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Gaúcha concorre a uma vaga no parlamento da Itália

Natural de Porto Alegre, Claudia Antonini morou sete anos na Itália. Genealogista e tradutora pública, há 17 anos, ela tem escritório de consultoria ao lado do consulado, na capital gaúcha. Nesse período, já auxiliou mais de 4 mil famílias de descendentes nos setores de assistência, cultura e pesquisa. É conselheira do Comitê dos italianos no exterior, representando o Rio Grande do Sul, conselheira do Curso de Italiano subsidiado pelo governo da Massolin de Fiori e operadora responsável pelo Patronato Ital Uil no Estado. Claudia Antonini tem mestrado em Relações Públicas Europeias e especialização no Ensino do Italiano para Estrangeiros.

É a segunda vez que Claudia Antonini concorre ao parlamento italiano. Nas últimas eleições, em 2008, ela recebeu mais de 10 mil votos. Atualmente, três das quatro vagas de deputado, na seção América do Sul, são ocupadas por Argentinos. O outro é Fábio Porta, ítalo-brasileiro radicado em São Paulo. Ela é a única candidata do Estado no pleito italiano. A gaúcha Claudia Antonini, 46 anos, concorre ao cargo de deputada pelo Partido Democrático.


“Só quem viveu a mesma história pode levar para a Itália a mesma voz”

Uma das propostas da candidata gaúcha é potencializar os Consulados, garantindo, assim, um atendimento digno e com mais rapidez para o reconhecimento de cidadanias e demais serviços consulares. Atualmente, há mais de 600 mil ítalo-brasileiros na fila aguardando o reconhecimento da cidadania. No Rio Grande do Sul, esse número chega a 50 mil. O prazo para obter a cidadania chega a levar 10 anos. A lei prevê que o prazo não pode ultrapassar 240 dias.
Outras propostas de Claudia Antonini: promover intercâmbios com bolsas de estudo, viagens, cursos e o recíproco reconhecimento de diplomas, incentivando as relações entre universidades italianas e brasileiras; Reformar os Institutos de língua e cultura italiana, criando um projeto unitário que se torne estratégico para a Itália, como já possui a França, com a Aliança Francesa, e a Alemanha, com o Instituto Goethe; Valorizar o papel da mulher e lutar pela inserção paritária das mulheres em todos os âmbitos da sociedade; e requalificar a imagem do Brasil na Itália, promovendo seminários e outras ações.


Eleições ao Parlamento da Itália

Mais de 40 mil eleitores no Rio Grande do Sul, e 300 mil em todo o Brasil, poderão votar nas eleições da Itália. São gaúchos com cidadania italiana. Eles vão escolher seus representantes no parlamento em Roma. A seção América do Sul vai eleger quatro deputados e dois senadores. O período de votação vai de 04 a 21 de fevereiro.
Todos os eleitores de fora da Itália vão receber as cédulas eleitorais em sua casa, por correspondência. Até o dia 21 de fevereiro, os votos devem estar no consulado para serem validados.

Os eleitores devem escolher 2 (dois) candidatos para senador e 2 (dois) candidatos para deputado. Eles precisam ser do mesmo partido. A cédula de votação é enviada para a casa dos cidadãos italianos por correspondência. Até o dia 21 de fevereiro de 2013 os votos devem estar no consulado.

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Força tarefa nas casas noturnas revela caos da fiscalização

A força tarefa que foi a campo fiscalizar as casas noturnas de Caxias do Sul mostrou o completo descaso com a fiscalização desses estabelecimentos. Na quinta-feira, por exemplo, primeiro dia da ação metada das casas fiscalizadas foram interditadas. Os motivos de interdição iam além dos alvarás ou planos de incêndio. As quatro casas fechadas desempenhavam atividades diferentes dos seus alvarás.

A Boca D'Oro, Boate Ilha e Cassino  foram interditadas pois mantinham pontos para encontro nos fundos, ou seja, estimulavam a prostituição, algo que todo mundo sabia que acontecia. Precisou a comoção por uma grande tragédia para que os estabelecimentos fossem fiscalizados. Como incentivar a prostituição é crime, o estranho é que os responsáveis não tenham saído presos dessas blitzs.

Em relação à segurança, o caso da Kaiak é o pior de todos pois ela funciona num porão! Sem saída de emergência, com apenas uma escada para subir. É impressionante como ela pode se instalar naquele lugar. O Secretário de Urbanismo tentou justificar os alvarás para atividades diferentes das que estavam sendo realizadas: "Agora, se ele muda a atividade depois que a fiscalização se ausenta, o poder público só pode saber pelas vistorias”.

Na lista divulgada pelo Pioneiro na terça feira, que foi divulgada pelos Bombeiros, as casas apareciam como se tivessem alvará. O que se notou com a fiscalização é que parece muito fácil conseguir um alvará e depois modificar o estabelecimento já que não há fiscalizações periódicas. Na própria lista casas noturnas que nem existem mais figuram como OK. É o caso do Badulê, na Marechal Floriano, que fechou há quase um ano, ou, próximo a ela, o The King que fechou, reformou e reabriu.

Também encontramos algumas coisas inacreditáveis como a foto dessa postagem. Ela é do Google Street View e mostra o Bar Habilidoso, com uma grafia muito própria na sua parede, mas que aparece como tendo uma alvará regular. A imagem começou a circular pela internet para questionar a falta de sintonia entre as informações do poder público.

A fiscalização também foi assunto na Câmara de Vereadores essa semana. A vereadora Denise Pessôa (PT) propôs um pedido de informações sobre a situação dos alvarás de todas as casas noturnas da cidade. A proposta foi aprovanda por ampla maioria tendo o voto contrário apenas do vereador Mauro Pereira (PMDB) que deu uma justificativa risível (mais uma), ele disse: "que o tema está sendo tratado pela imprensa caxiense que averiguou as casas em conformidade com as normas técnicas.". Segundo o vereador peemedebista quem deve fiscalizar é a imprensa não a prefeitura. Mas isso é tema para outra postagem.

 Alguns donos de casas noturnas também tem razão ao reclamar que tem que pagar taxas de alvará e uma série de impostos municipais e a fiscalização nunca é feita. Quem paga os impostos em dia e mantém suas casas dentro de um padrão, no mínimo aceitável, fica em desvantagem com quem não dá a mínima para a segurança de seus clientes.

Ações como essa de fiscalização tem que ser periodícas. Como há muito tempo não se faz, o trabalho agora é gigantesco. Porém se forem feitas ao longo do ano é possível sim acontecerem.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Políticas públicas transformam realidade do país

(clique na imagem para ampliar)
Relatório destaca redução da desigualdade e avanços na saúde e educação

A partir de dados estatísticos, o estudo “Indicadores de Desenvolvimento Brasileiro” demonstra a relação entre as políticas públicas brasileiras e a aceleração do desenvolvimento humano no país de 2001 a 2011. “O país apresentado por Josué de Castro em Geografia da Fome (mostrando que esse era um fenômeno cultural, impossível de ser revertido) hoje é o país da fome zero”, afirmou o representante residente no Brasil do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud/ONU), Jorge Chediek.

O estudo foi realizado pelos Ministérios do Planejamento, Desenvolvimento Social, Educação e Saúde, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Pnud. “O Brasil é referência mundial no combate à pobreza e à desigualdade”, diz Chediek, no prefácio do trabalho. “A geração expressiva de empregos e o aumento dos salários impactam na economia cada vez mais inclusiva e na ascensão social dos mais pobres”.

Além de destacar a agenda de universalização de direitos sociais e a inclusão de segmentos populacionais historicamente excluídos, o estudo avalia que foram importantes as decisões de política econômica no sentido de fortalecer o mercado interno. Essas ações foram executadas de forma articuladas entre as três esferas de governo e com participação social. “A realidade não é mais a mesma. O nosso desafio agora é dar o passo seguinte, as políticas complementares, com o mesmo objetivo, mas que exigem novas ações”, diz a ministra do Planejamento, Miriam Belchior.

De acordo com a publicação, o crescimento econômico da última década beneficiou de forma mais significativa a população de renda mais baixa e contribuiu para reverter a histórica desigualdade regional no país (veja gráfico). Entre 2001 e 2011, a renda dos 20% mais pobres aumentou em ritmo sete vezes maior do que a dos mais ricos (5,1% ao ano em média acima da inflação ante 0,7%). A renda média domiciliar per capita mensal dos 20% mais pobres passou de R$ 102 em 2001 para R$ 167 em 2011.

Inclusão - A elevação da renda familiar, em especial nas regiões mais pobres, levou à redução da extrema pobreza no Brasil. Entre 2001 e 2011, a população com renda domiciliar per capita até US$ 1,25 por dia recuou de 14% para 4,2%, percentual bem abaixo da meta estipulada pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (12,8%). “Além disso, a renda da população mais pobre foi se aproximando, em termos relativos, da linha internacional de pobreza ao longo do período: a distância entre a renda dos mais pobres e a linha reduziu-se de 6% para 2,3%”.

Na análise das Nações Unidas, esses resultados na promoção da inclusão social se deram na medida em que os recursos orçamentários foram dirigidos de forma crescente em políticas sociais. Essa movimentação foi realizada tanto no fortalecimento da educação, saúde, trabalho, assistência e seguridade social, como nos programas de transferência de renda, de fomento ao agricultor familiar, e de garantia à segurança alimentar.

“Outro fator distintivo do período recente é o resgate da atuação do estado brasileiro como investidor e como indutor do investimento privado, o que tem permitido a eliminação de gargalos ao desenvolvimento econômico e social”. Nesse processo, segundo o estudo, o mercado interno, com consumo e investimento doméstico, tornou-se o principal motor do crescimento econômico, contribuindo para reforçar, ainda mais, a expansão da renda.

Fonte: Secom

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Pérolas do Mauro (1)

O vereador Mauro Pereira (PMDB) adora dar pitaco em tudo. Na suas defesas, na maiorias das vezes destrambelhadas, do governo, ele solta pérolas que são dignas de riso, se não fossem trágicas. Isso é tão comum que criamos a seção "Pérolas do Mauro", apenas para comentar as bobagens que o nobre vereador fala.

A primeira do ano, foi na primeira sessão da Câmara de Vereadores. Ao discutir o mérito da moção do vereador petista Rodrigo Beltrão que pedia a devolução dos valores cobrados pelo Fundo Municipal de Recursos Hídricos, considerado ilegal pela justiça, Mauro se saiu com essa:

"a administração do prefeito Pepe Vargas (PT) também criou fundos municipais, para o esporte e para a cultura"

Isso é verdade, o Funprocultura e o Fundel foram criados pelo governo Pepe Vargas. A bobagem que o vereador falou é que os dois fundos são compostos com recursos orçamentários e não pagos por meio de taxas como o de Recursos Hídricos, ou a Taxa Sartori.

O que o governo Sartori quis fazer com o FMRH, ou Taxa Sartori, é que a população pagasse a conta do individamento do Samae, disfarçado de fundo de preservação ambiental. A justiça disse que isso é ilegal. 


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Base aliada rejeita, novamente, moção por devolução da "Taxa Sartori"

A primeira sessão do ano, da Câmara de Vereadores, e nada mudou. A imensa base aliada do governo Alceu Barbosa Velho (PDT), blindou novamente o governo dando uma mostra de como será os próximos quatro anos.

Na primeira sessão o vereador Rodrigo Beltrão (PT) apresentou uma moção para que a prefeitura devolvesse os valores cobrados, irregularmente, pelo Fundo Municipal de Recursos Hídricos (Taxa Sartori), que foi considerado inconstitucional, por unanimidade, pelo Tribunal de Justiça do Estado. A moção foi rejeitada por 17 votos a 5 (veja abaixo).

Segundo o portal transparência, da Prefeitura de Caxias do Sul, o Fundo Municipal de Recursos Hídricos arrecador, desde sua criação, R$ 14.867.406,10 (R$ 16.357.987,67 em valores corrigidos). Esse valor deverá ser devolvido, mais cedo ou mais tarde para os caxienses, pois foi considerado ilegal. Qual a estratégia da prefeitura? Tentar convencer o judiciário a não obrigar a prefeitura a devolver o valor para todo mundo compulsoriamente. Nesse caso quem quisesse o dinheiro de volta teria que ir até a prefeitura e solicitar num longo e demorado processo.

Os "independentes" já mostraram a sua cara
O bom de uma primeira votação como essa é que os "independentes" mostraram a sua cara. Daniel Guerra (PSDB) votou favoravelmente a moção. Mesmo com o seu partido sendo da base aliada de Alceu, o vereador tucano tem se mostrado sensível as propostas que favorecem a população. Do outro lado a máscara de independente caiu rapidinho. Rafael Bueno (PCdoB) que se manifestou receoso com a entrada de seu partido no governo Alceu, votou como o governo mandou e ficou em silêncio. Raimundo Bampi (PSB), que também teria uma postura menos alinhada seguiu também a orientação do Executivo, até porque seu colega de partido e titular do mandado, Eloi Frizzo, é o Diretor Presidente do Samae, que terá que devolver o dinheiro à população.

Veja como votou cada vereador. Edson da Rosa (PMDB) só vota em caso de desempate.

ARLINDO BANDEIRA PP Não

CLAIR DE LIMA GIRARDI PT Sim

DANIEL ANTONIO GUERRA PSDB Sim

DENISE DA SILVA PESSÔA PT Sim

EDI CARLOS PSB Não

EDSON DA ROSA PMDB Presidente

FELIPE GREMELMAIER PMDB Não

FLÁVIO GUIDO CASSINA PTB Não

FLÁVIO SOARES DIAS PTB Não

GUILHERME GUILA SEBBEN PP Não

GUSTAVO LUIS TOIGO PDT Não

HENRIQUE SILVA PCdoB Não

JAISON BARBOSA PDT Não

JOÃO CARLOS VIRGILI COSTA PDT Não

JÓ ARSE PDT Não

MAURO PEREIRA PMDB Não

NERI ANDRADE PEREIRA JUNIOR DEM Não

PEDRO JUSTINO INCERTI PDT Não

RAFAEL BUENO PCdoB Não

RAIMUNDO BAMPI PSB Não

RENATO DE OLIVEIRA NUNES PRB Sim

RODRIGO MOREIRA BELTRÃO PT Sim

ZORAIDO DA SILVA PTB Não

Taxista e motorista de transporte escolar condenados por atentado violento ao pudor

Recentemente a Prefeitura Municipal finalizou o processo de novas concessões de táxis na cidade. Um dos concorrentes porém, teve a concessão negada pela Prefeitura. Motivo: ele possui uma condenação por atentado violento ao pudor.

Assim como esse taxista, um motorista de micro-ônibus escolar também teve sua autorização de conduzir o veículo escolar negada pelo mesmo motivo. Detalhe: neste caso, o motorista foi condenado por atentado violento ao pudor contra uma criança!

Ambos os motoristas ajuizaram um mandado de segurança contra o município requerendo a liberação de suas respectivas concessão e autorização, alegando que o fundamento usado pela Prefeitura não se encaixa no caso deles. O município negou as autorizações com base no artigo 329 do Código de Trânsito Nacional:

Art. 329. Os condutores dos veículos de que tratam os arts. 135 e 136, para exercerem suas atividades, deverão apresentar, previamente, certidão negativa do registro de distribuição criminal relativamente aos crimes de homicídio, roubo, estupro e corrupção de menores, renovável a cada cinco anos, junto ao órgão responsável pela respectiva concessão ou autorização.

O artigo 135 se refere aos serviços de transporte de aluguel (táxi) e o artigo 136 se refere ao transporte escolar.

Não vamos permitir que estupradores
sejam motoristas de transporte público em Caxias
A condenação de ambos é por atentado violento ao pudor e não por estupro. Daí a ação requerendo o fim da medida proibitiva do município.

Os crimes foram cometidos antes de 2009, ou seja, antes da alteração da lei penal que hoje descreve as condutas antes tidas como de atentado violento ao pudor como crime de estupro:

Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso.

Ou seja, se fosse hoje, ambos estariam condenados por estupro e se enquadrariam exatamente na proibição estabelecida pelo Código de Trânsito Nacional.

De qualquer forma, será um absurdo que esses estupradores ganhem judicialmente a concessão e autorização para conduzir transporte público na cidade. As mulheres e crianças da cidade estarão sujeitas a ser vítimas novamente desses criminosos sexuais.

Não vamos permitir que isso aconteça! Vamos nos mobilizar e pressionar o Poder Judiciário para que não permita que estupradores conduzam transporte público em Caxias do Sul!

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Logo feinho "di dá dó"... e com mais uns problemas

A prefeitura de Caxias do Sul anunciou a nova logo para a administração Alceu/Feldmann (PDT/PMDB). A imagem (ao lado) ainda não está no site do município e a imagem foi divulgada pelo site de O Caxiense. Tanto nos comentários da Revista, quanto numa postagem que fizemos no Facebook a opinião da esmagadora maioria que comentou é que a marca é "muito feia".

Outros comentários com: " uma total falta de profissionalismo..."; "Duvido que, se fizessem um concurso na rede pública municipal, chegariam a um resultado tão amador."; "Caxias da fé... pegaram muito pesado!"; "Medíocre e provinciano" e por aí vai. Apenas dois comentários dos 31 disseram que gostaram dele.

Algumas pessoas que comentaram são da área da comunicação e avaliaram aspectos como cor, estética, tipografia entre outros elementos. O que realmente chama atenção é a profusão de elementos e imagens. Como disse uma leitora: " Pessoas de um lado, indústria de outro, produtor de outro ... é assim que o poder municipal vê as coisas, tudo sem conexão".

Outro ponto que mereceu atenção foi o slogan: "Prefeitura de Caxias do Sul, da Fé e do Trabalho". Houve quem achou que ela foi construída de maneira semelhante, porém com pior qualidade, do slogan do Governo do Estado: "Rio Grande do Sul, do Brasil e do Mundo". A ideia é dar aos substantivos Fé e Trabalho uma ação.

Apesar do chefe de gabinete da prefeitura, Manoel Marrachinho, negar, o uso da expressão "da Fé" é, inevitalmente, religioso. E isso não é um problema por professar alguma fé. A questão é que o Estado, como ente governamental não pode, na definição de Estado Laico, professar fé nenhuma, nem negar a própria fé, ou seja, ele não deve se meter nessa seara.

Alceu já havia antecipado essa linha no seu discurso de posse. Portanto a marca representa um concepção, que só apareceu depois das eleições, mas que já estava marcada no primeiro dia de campanha. Como postou um leitor no Facebook a definição de fé é: "(do Latim fides, fidelidade e do Grego pistia) é a firme opinião de que algo é verdade, sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação, pela absoluta confiança que depositamos nesta idéia ou fonte de transmissão". Portanto, de duas, uma. Ou é para as pessoas acreditarem que só existe uma verdade, a proferida pela adminstração municipal e isso representa uma arrogância sem tamanho, ou então é um prenúncio para rezarmos muito pois virá coisa ruim por aí.

A concepção da marca foi do setor de marketing da prefeitura, que foi basntante elogiado pela imprensa caxiense (e pelo primeiro trabalho ainda não entendemos o motivo de tanto elogio), e será aplicado nos carros, placas, papel timbrado e em vários outros locais gerando um gasto para os cofres públicos, mas isso já é outra conversa.

Top 5 - Polenta News - Janeiro 2013


 No mês em que o Rio Grande do Sul, e o Brasil, foi atingido por uma tragédia, que ainda nos choca, o Polenta News tratou o incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria com discrição. Nossa atitude não foi dar mais sensacionalismo a história, mas nos juntarmos a enorme corrente de solidariedade formada para auxiliar os feridos e as famílias. Entretanto não deixamos de cobrar posturas. Elogiamos os esforços das esferas governamentais (município de Santa Maria, Governo do Estado e Governo Federal) que destacaram estrutura, pessoal e recursos para o atendimento das vítimas. Elogiamos a corrente de solidariedade que consternou o Brasil inteiro. Por conta disso não pudemos tolerar que no mesmo dia o Rodeio de Caxias do Sul continuasse acontecendo com direito a música, festa e celebração. Enquanto o Brasil fazia luto o governo Alceu fingia que nada acontecia. Além disso o prefeito bateu boca com cidadãos que questionaram isso. Por conta disso os dois posts mais lidos esse mês são referentes a atitutde do prefeito.

Veja abaixo as postagens mais lidas do mês de janeiro de 2013.

Internautas questionam prefeito por não cancelamento do Rodeio em Caxias  (1) - Internautas questionaram o prefeito Alceu Barbosa Velho (PDT) pelo não cancelamento das atividades do Rodeio Crioulo, em Caxias do Sul.

Sobrou pro estagiário (1) - O prefeito não se retratou pelo destempero, empregado no seu perfil do Facebook, as críticas quanto ao não cancelamento do Rodeio, porém o Pioneiro tentou atribuir a culpa a uma assessor. Sobrou pro estagiário.

Mais um partido atrás de um CC (1) - Presidente do PTN briga com a direção estadual e funda outro partido em Caxias, o PEN, e pede um CC no governo Alceu.

RBS alerta "deficit da comunicação" de Tarso e planeja aumentar seus lucros (1) - A RBS de olho nas verbas de publicidade do Governo do Estado sugere que o governo invista em publicidade para contornar as inverdades que ela mesmo publica.

Polentinhas: Assis tenta se explicar (1) - Deputado Assis Melo (PCdoB) usou verba de gabinete, da Câmara dos Deputados, para pagar uma pesquisa de opinião com visível vies de subsídio para sua candidatura a prefeito. Para tentar se explicar mandou uma nota pública à imprensa, mas não explicou muita coisa não.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Polentinhas: Alceu mandou o vice para encontro com a UAB

O título parece um déjà vu, mas é coisa recente. Na reunião com os presidentes de bairro, que acontece no primeiro sábado de cada mês, na União das Associações de Bairros, estava na pauta a apresentação do novo governo municipal aos presidentes de bairro. Essa já é uma atividade corriqueira que, acontece, a cada começo de mandato do executivo municipal e a UAB sempre fez todo o esforço para que o Prefeito estivesse presente.

Esse ano foi diferente. Alceu não veio, mandou o vice, Antonio Feldmann, muito parecido com o que fazia nos debates  "menos importantes" durante a campanha eleitoral. Além do vice estiveram presentes quase todo o secretariado.

Mas teve mais um problema. Só Feldmann falou! Ao terminar seu discurso ele foi embora, com a maioria dos secretários, e não foi aberta palavra para os presidentes de bairro questionarem o vice prefeito. Isso também nunca havia acontecido.

O responsável pela supressão da palavra dos presidentes de bairro foi do presidente da Assembleia Geral, Valdevino Tavares, que foi o mesmo que bateu de frente quando o presidente da UAB, questionou o reajuste do Samae (veja aqui). A atitude do presidente da Assembleia Geral mostra mais uma vez o perigo da maior entidade popular de Caxias do Sul estar sob o controle da administração municipal.

Quanto a ausência de Alceu ninguém sabe o motivo. No seu perfil do Facebook não mostra nenhuma atividade do prefeito no sábado, nem no site da prefeitura. Sabemos que ele estava em Caxias, pois no domingo, ele participou da abertura da colheita de uva. Fica evidente, no caso da UAB, o desprestigio de Alceu para com o movimento comunitário. Porém você vai ler algo diferente nos jornias de hoje, por um simples motivo, os veículos de comunicação copiaram o release da prefeitura e não estavam presentes no dia.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Roberto Gurgel, o procurador midiático

Estratégia, coincidência ou vaidade? O certo é que todo o grande caso nas mãos do procurador geral da República, Roberto Gurgel, primeiro brilha nas manchetes da mídia, depois rola no rigor do Judiciário, e durante todo o tempo promove o próprio investigador a xerife dos bons costumes no Brasil; no caso Renan, a estratégia não deu certo

Fonte: Brasil 247

Uma dúvida assalta os que acompanham o modo de agir do procurador geral da República, Roberto Gurgel. Ele não vê relação entre o envio de casos, pela Procuradoria, ao Supremo Tribunal Federal, sempre no exato momento em que o assunto em pauta faz parte dos apetites da mídia. Muitos observadores, porém, apontam que não há nada de coincidência entre o timmig do desengavetamento de processos, como o que se abate, agora, sobre o novo presidente do Senado, Renan Calheiros, e o momento político mais propício para o barulho e a repercussão.

Investigado desde 2007, Renan só teve seu processo consolidado e enviado ao Supremo uma semana antes da eleição para a presidência da Casa. Foram quase seis anos de gaveta, para uma reentrada trinfual na cena política. Aliados do peemedebista como o senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) não economizaram nas críticas e dispararam ofensas pessoais à Gurgel, chamando-o de "prevaricador" e "chantagista". Os ataques ainda estão sem resposta.

Outro episódio que colocou o nome do PGR nas rodas de bares foi o pedido de prisão contra os condenados pelo processo do mensalão no encerramento do ano judiciário. Assim, a análise iria ficar a cargo apenas do presidente do STF, Joaquim Barbosa, à frente do plantão, e não seria debatido em plenário como se esperaria de um processo que movimentou o noticiário brasileiro por meses.

Mas a principal delas, com certeza, foi a notícia de que Roberto Gurgel já tinha conhecimento do envolvimento do ex-senador Demóstenes Torres com o crime organizado e a turma do bicheiro Carlinhos Cachoeira desde a Operação Las Vegas da Polícia Federal. Porém não formalizou nenhuma denúncia à justiça. Esse foi o combustível que movimentou por meses os jornais, com as sucessivas tentativas de parlamentares em levar o procurador geral da república para depor na CPMI do Cachoeira.

Seja como for, no caso Renan, sua estratégia não funcionou.

Que muro é este, Prefeito?

Texto de Antonio Vicente Martins*

As noventa famílias atingidas pelo incêndio que atingiu a Vila Liberdade, no entorno da Arena do Grêmio estão desamparadas. A área que se tornou um objeto de desejo da especulação imobiliária está sendo cercada pela Prefeitura de Porto Alegre sem que as famílias que ocupavam o terreno há muitos anos recebam qualquer garantia de que continuarão ocupando o lugar que lhes é de direito.

O poder público, com letras minúsculas, que NUNCA (COM LETRAS MAIÚSCULAS)se preocupou com as famílias que ocupavam aquele terreno em condições precárias e quase desumanas, está sendo ágil em cercar o terreno para impedir que volte a ser utilizado por aqueles que ali estão há tantos e tantos anos.

E qual a agilidade para dar solução de moradia para os que foram atingidos pelo incêndio? Qual a transparência para apresentar propostas para a sociedade para aquelas noventa famílias que estão desabrigadas?

Foram noventa famílias atingidas e que perderam todos os seus pertences. Pior, foram noventa famílias de baixa renda que perderam tudo. Mas, tudo mesmo.

Estas famílias, meu amigo Fortunatti, exigem respeito e dignidade. Aliás, eu também exijo respeito e dignidade para estas famílias.

Conheço o Prefeito Fortunatti desde os tempos da Faculdade de Direito da UFRGS. Sei que ele tem uma história de lutas ao lado dos trabalhadores e das classes populares. Então, não posso acreditar que ele não esteja envolvido de corpo e alma na solução para estas famílias.

E a solução não é de colocar os atingidos em casas de passagem. A solução não é de propor um aluguel social por seis meses, sem nenhum compromisso de reconstrução das casas atingidas pelo incêndio. A solução não é cercar a área.

Aliás, porque cercar a área?

Eu não quero saber do muro, Prefeito. Eu quero saber de solução que tem que ser dada pelo poder público e tem que ser dada ontem. As famílias atingidas não podem ficar sem solução. A solução tem que respeitar os seus direitos.

Noventa casas foram queimadas, é como se fossem dois quarteirões inteiros de casas queimadas. E qual a resposta da Prefeitura? Cercar o local? Mas, para que o cercamento? E as pessoas que estão desabrigadas? Qual a resposta da Prefeitura? Qual a solução do problema?

O Prefeito que é tão preocupado com os animais abandonados e que são maltratados, tenho certeza, está concentrado em encontrar uma solução para estas famílias de seres humanos que estão sem lugar para morar e sem qualquer solução para suas vidas. Elas hoje só tem um muro.

Mas, que porra de muro é este, Prefeito?

Antonio Vicente Martins é advogado

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Um combatente aos maus tratos contra os animais na Câmara. Será?


O vereador eleito Jó Arse (PDT) declarou essa semana que quer apresentar um Projeto de Lei contra os maus tratos aos animais. Jó Arse é ex-coordenador e atual Conselheiro Fiscal da 25ª Região Tradicionalista.

Muito conveniente a proposta do vereador tradicionalista! Em tempos de rodeios onde um dos principais espetáculos são as provas de laço, uma lei viria muito bem em defesa dos animais. Resta saber que provas campeiras restarão, já que é muito subjetivo aquilo que maltrata ou não os animais.

Será que o vereador Jó Arse, em seu projeto de lei vai:

  • Proibir o uso de esporas?
  • Proibir o uso de sedem (artefato de couro amarrado ao redor do corpo do animal - sobre o pênis ou saco escrotal)
  • Proibir a prova de laço de novilhos - muitas vezes o bezerro tem ruptura na medula espinhal, ocasionando morte instantânea e a ruptura de diversos órgãos internos levando o animal a uma morte lenta e dolorosa


Vale lembrar que no Rodeio Crioulo de 2012 foram encontrados três aparelhos para dar choques em animais: Mau exemplo no Rodeio Crioulo de Caxias.

Contudo, nem só de maus exemplos vivem os Rodeios crioulos. Há uma série de espetáculos que valorizam a cultura gaúcha e são muito saudáveis, como os festivais de música, danças e poesias.

Aguardamos uma lei que realmente coíba a tortura dos animais nos rodeios. E sem ironias, esperamos que o vereador cumpra o que promete.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Polenta News completa 2 anos

Há dois anos um grupo de pessoas se reuniu com um pensamento: "Nós não toleramos mais a manipulação que a mídia faz sobre os fatos". Desse pensamento surgiu a proposta de fazermos um blog onde poderíamos mostrar o "outro lado dos fatos". Obviamente isso não foi invenção nossa. Nem fomos os primeiros em Caxias do Sul a fazer isso. Já existiam outras experiências no meio digital. A nossa diferença foi reunir um grupo que conseguisse produzir conteúdo, diário, para o blog. Passados dois anos essa primeira tarefa foi cumpria a contento. Essa postagem que você está lendo agora é a de número 800!

A segunda tarefa era conquistarmos a confiança dos leitores. Acreditamos que conseguimos conquistar um público, que acha que não existe uma "versão oficial" dos fatos. Nosso sucesso não é medido pelos elogios que o blog recebeu nesse tempo todo e sim pelos ataques. Claro. Quanto mais somos alvos de ataques, mas estamos "incomodando". Incomodando nesse caso significa dizer que reviramos a notícia e revelamos o que não foi divulgado.

Nesses dois anos fizemos isso muitas vezes. Mostramos informações antes de outros veículos, cubrimos assuntos esquecidos pela mídia e, em algumas vezes, servimos de fonte para outros veículos, embora eles não reconheçam isso.

Passado esse tempo todo nossa maior alegria não foram as milhares de acesso no nosso blog, nem as postagem que chegaram a travar no nosso Facebook com tantos compartilhamentos. O que mais nos alegrou foi quando leitores sugeriram pautas para o nós. A matéria que fizemos sobre os ratos que invadiram a Feira do Livro partiu de uma leitora. Como também foi uma sugestão a matéria sobre a piada, sem graça, ofendendo os professores publicada no Pioneiro. Essas pessoas poderiam ter escolhido outros veículos de comunicação para sugerir essa matéria. Escolheram o Polenta News por, palavras delas, "era o lugar onde elas tinham certeza que receberiam atenção".

Então, com a sensação de dever cumprido só nos resta saborear uma polenta brustolada e trabalhar muito duro até nosso 3º, 4º, 5º, e muitos aniversários que virão.

Parabéns a todos os polenteiros que nos seguem esses dois anos.